O "eu" como matéria de ficção – O espaço biográfico contemporâneo e as tecnologias digitais

Ana Claudia Viegas

Resumo


Considerando a proliferação de discursos em primeira pessoa e a importância crescente dos testemunhos e relatos de experiência na mídia, discutirei a formação de um “espaço biográfico” (Leonor Arfuch) como tendência da cultura contemporânea, e suas relações com o uso das tecnologias que produzem um “efeito” de presença, de real. Através da leitura crítica de contos, crônicas e doblog da escritora Cecília Giannetti, e do livro Por que sou gorda, mamãe?, de Cíntia Moscovich, proponho o conceito de “autoficção” para o estudo do hibridismo entre realidade/ficção, vida/obra, autor/narrador observado em várias narrativas da atualidade.


Palavras-chave


Narrativas em 1ª pessoa; Espaço biográfico; Autoficção; Tecnologias da presença

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1807-9288.2008v4n2p2



Direitos autorais 2008 Ana Claudia Viegas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Texto DigitalUniversidade Federal de Santa CatarinaFlorianópolisSanta Catarina, Brasil. ISSNe 1807-9288

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.