Ideias sobre progresso técnico em Vilém Flusser e Gilbert Simondon

Angélica Beatriz Castro Guimarães

Resumo


Esse artigo apresenta algumas ideias sobre o progresso técnico e a relação humano-máquina em Vilém Flusser e Gilbert Simondon. Os dois autores apresentam conceitos bem diferentes sobre a técnica, mas ambos projetam seus argumentos para a situação de intensificação técnica que ocorre a partir de meados do século XX. Simondon pensa a geração de objetos técnicos como modulação de intensidades. Flusser concebe o progresso técnico como uma escalada de abstração que não se encerra como modelo linear e acumulativo. Os dois autores pensam a situação de desorientação diante da aparente intencionalidade dos objetos técnicos. A partir dos conceitos propostos é possível pensar sobre a modulação do fluxo técnico pela arte no campo da sensibilidade.


Palavras-chave


Relação humano-máquina; Técnica; Industrialização; Arte

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1807-9288.2013v9n1p172



Direitos autorais 2013 Angélica Beatriz Castro Guimarães

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Texto DigitalUniversidade Federal de Santa CatarinaFlorianópolisSanta Catarina, Brasil. ISSNe 1807-9288

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.