O registro de si e do outro: práticas de leitura e de escrita de estudantes em ambiente digital

Adriana Barroso de Azevedo, Lucivania Antonia da Silva Perico

Resumo


O presente artigo é um recorte da Dissertação de Mestrado intitulada “Ensino Médio, Língua Portuguesa e Portal Educacional: percepções emergentes das narrativas de alunos inseridos em práticas de letramento digital” (PERICO, 2015) na qual foi abordada a importância das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) no atual contexto educacional. A metodologia adotada foi a pesquisa qualitativa de cunho investigativo, na modalidade narrativa. A apuração dos dados resultou em oito categorias de análise, sendo selecionada para este artigo aquela que analisa a produção de alunos em ambiente digital. Os resultados obtidos apontaram para uma efetiva preocupação com a escrita em norma culta, por parte dos estudantes inseridos no processo, ao terem seus textos lidos, analisados e debatidos por outros colegas.


Palavras-chave


Tecnologias digitais; Leitura; Escrita

Texto completo:

PDF/A

Referências


BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: M. Bakhtin. A estética da criação verbal. 3ª Edição. São Paulo: Martins Fontes, p.277-326, 2000.

BECHARA, Evanildo. Ensino da Gramática: Opressão? Liberdade? São Paulo: Ática, 2007.

______. Moderna Gramática Portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. Tradução de Reginaldo Carmello Corrêa de Moraes. São Paulo: Editora UNESP, 1998.

COSCARELLI, Carla Viana. Alfabetização e letramento digital. In: COSCARELLI, Carla. RIBEIRO, Ana Elisa (Org.). Letramento Digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. Belo Horizonte: Ceale; Autêntica, 2005.

FIORIN, José Luiz; SAVIOLI, Francisco Platão. Para entender o texto: leitura e redação. 17. ed. São Paulo: Ática, 2007.

MARCUSCHI, Luiz Antônio; XAVIER, Antônio Carlos (Orgs.). Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção do sentido. 2. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

PERICO, Lucivânia A. Silva. Ensino Médio, Língua Portuguesa e Portal Educacional: percepções emergentes das narrativas de alunos inseridos em práticas de letramento digital. 2015. 227 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Humanidades e Direito, Universidade Metodista de São Paulo.

RIBEIRO, Ana Elisa. Ler na tela – letramento e novos suportes de leitura e escrita. In: ______. Letramento Digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. Belo Horizonte: Ceale; Autêntica, 2005.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009. (Série Estratégias de Ensino 13).

SANTOS, Else Martins dos. Chat: e agor@? Novas regras – nova escrita. In: ______. Letramento Digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. Belo Horizonte: Ceale; Autêntica, 2005.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, códigos e suas tecnologias. Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Alice Vieira. São Paulo: SEE, 2010.

SARTORI, Ademilde Silveira (Org.). Educomunicação e a criação de ecossistemas comunicativos: diálogos sem fronteiras. 1. ed. Florianópolis: DIOESC, 2014.

SILVA, Ezequiel Theodoro da. Formação do leitor virtual pela escola brasileira: uma navegação por mares bravios. In: FREIRE, Fernanda M. P.; ALMEIDA, Rubens Q. de; AMARAL, Sérgio Ferreira do; SILVA, Ezequiel Theodoro da. (Coord.);. A leitura nos oceanos da internet. São Paulo: Cortez, 2003.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-9288.2015v11n1p369



Direitos autorais 2015 Adriana Barroso de Azevedo (Universidade Metodista de São Paulo), Lucivania Antonia da Silva Perico (Universidade Metodista de São Paulo)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Texto DigitalUniversidade Federal de Santa CatarinaFlorianópolisSanta Catarina, Brasil. ISSNe 1807-9288

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.