Corpos em Dobra: um ensaio gráfico-textual do Homeóstato #04 de José Alberto Marques

Autores

  • Luís Cláudio Costa Fajardo Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-9288.2016v12n1p38

Palavras-chave:

Homeóstatos, José-Alberto Marques, Poesia Experimental Portuguesa

Resumo

Este ensaio teórico-visual consiste em uma análise teórica e uma intervenção gráfica sobre o poema Homeóstato #04 da série Homeóstatos criada pelo poeta português José-Alberto Marques. A análise teórica surge de uma aproximação entre o poema e o conceito de Autopoiesis formulado por Humberto Maturana e Francisco Varela na década de 1970. A intervenção gráfica inspira-se na sugestão da forma poética desenhada pelo poeta digital brasileiro, André Vallias em seu poema “Nous n'avons pas compris Descartes” concebido em 1991.

Biografia do Autor

Luís Cláudio Costa Fajardo, Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil

Professor no Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora. Doutor em Letras - Estudos Literários pela UFJF. Mestre em Tecnologias da Inteligência e Design Digital pela PUC-São Paulo, especialista em Computação Gráfica Aplicada às Artes Visuais pelo Centro Universitário da Cidade/RJ e graduado em Educação Artística pela UFJF.

Downloads

Publicado

2016-09-05

Edição

Seção

Artigos