Escrita coreográfica digital: novas perspectivas sobre o processo criativo em dança

Daniele Castro

Resumo


Nas últimas décadas do século XX, coreógrafos e bailarinos presenciaram o surgimento de softwares para notação e criação em dança. Uma tecnologia cuja promessa é facilitar a escrita coreográfica e preservar sequências de movimento que antes estariam sob a guarda apenas da memória de seus criadores e intérpretes. Porém, para além de seus benefícios mais evidentes, é preciso investigar as implicações de tais tecnologias na compreensão do processo criativo de dança e do estatuto do corpo do bailarino. Recorrendo a estudos específicos sobre o tema e considerações dos principais criadores e utilizadores de tais tecnologias, este artigo procura confrontar diferentes perspectivas sobre a relação entre a escrita da dança e a tecnologia, tendo como eixo norteador o pensamento sobre o papel do corpo e da sensibilidade humana no processo criativo.

 


Palavras-chave


Criação. Coreografia. Corpo. Dança. Tecnologia

Texto completo:

PDF/A

Referências


CORDEIRO, Analívia. Nota-Anna: uma notação trajetória dos movimentos do corpo humano. 1996. Resumo de dissertação de mestrado – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

CORDEIRO, Analívia. “O coreógrafo programador”. Rio de Janeiro: 1976. Disponível em: http://analivia.com.br Acesso em: 04 mar 2011.

CRUZ, Maria Teresa. “Da nova sensibilidade artificial”. Imagens e reflexões, Edições Universitárias Lusófonas, Lisboa, 2000. Disponível em: http://bocc.ubi.pt/pag/cruz-teresa-sensibilidade-artificial.html. Acesso em: 10 mai 2015.

DOMINGUES, Diana. “A humanização das tecnologias pela arte”. In: DOMINGUES, Diana. A arte no século XXI: a humanização das tecnologias. São Paulo: Unesp, 1997, p. 15-30.

KNOX, Kelly. FRANDSEN, Ann-Christine. MCGOUN, Elton G. “Dancing the Dow: Accounting and Financial Information Embodied”. Sixth Asia Pacific Interdisciplinary Research in Accounting (APIRA 2010). University of Sidney. Julho, 2010. Disponível em: http://apira2010.econ.usyd.edu.au/conference_proceedings/ Acesso em: 01 mai 2015

LANSDOWN, John. “Computer graphics: a tool for the artist, designer e amateur”. In: RUITER, M.M. Advances in computer graphics III. Aire-la-Ville, Suiça: Eurographic, 1988. p. 147-175.

MANNING, Erin. “Prosthetics making sense: dancing the technogenetic body”. Concordia University, Montréal. Disponível em: http://erinmovement.com/. Acesso em: 01 mai 2015

NEAGLE, Royce James. Emotion by motion: expression simulation in virtual ballet. 2005. Tese – School of computing, Faculty of engineering, University of Leeds School of Computing, Leads, 2005. Disponível em: http://etheses.whiterose.ac.uk/1331/. Acesso em: 01 mai 2015.

NOLAND, Carrie. “Coping and choreography”. In: Digital Arts and Culture Conference, 2009, University of California, California, USA. Proceedings of the Digital Arts and Culture Conference, 2009. Disponível em: https://escholarship.org/uc/item/0gq729xq#page-3 Acesso em: 01 mai 2015.

SIBILIA, Paula. O show do eu: a intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-9288.2016v12n1p99



Direitos autorais 2016 Daniele Castro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Texto DigitalUniversidade Federal de Santa CatarinaFlorianópolisSanta Catarina, Brasil. ISSNe 1807-9288

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.