A poesia digital de Wilton Azevedo: interpoesia - o início da escritura expandida

Maria Lúcia Wochler Pelaes

Resumo


Este artigo apresenta um estudo sobre a poesia digital desenvolvida pelo Profº. Dr. Wilton Azevedo, no âmbito do Laboratório de Humanidades Digitais -LHUDI- da Universidade Presbiteriana Mackenzie, o qual encontra a sua relevância na utilização de infraestrutura tecnológica, na capacitação teórica-reflexiva e na produção em equipe dentro do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação, Arte e História da Cultura. A poesia digital estabelece uma nova relação entre os códigos através de registros sonoros, verbais, visuais e performáticos, proporcionando o desdobramento de imagens e palavras não-lineares e interdisciplinares, desmaterializando o fazer poético, que apresenta índices semióticos resultantes da articulação da linguagem em meios de ambiência numa interdependência mútua entre leitor, poeta e poesia. A Interpoesia de Wilton registra uma obra de características poéticas, criada em ambiência digital através do uso de dispositivos tecnológicos que objetiva a ampliação de um código digital como um meio eficaz de produção de conhecimento dentro da proposta de Humanidades Digitais. O trabalho de Wilton propõe um novo olhar sobre a ambiência digital no que tange a sua exploração, enquanto plataforma tecnológica relevante para a criação digital poética, assim como para o registro de acervos históricos e recriação de ambientes humanos presentes e passados, de tal forma que a sua importância reside na compreensão e difusão da ambiência digital.


Palavras-chave


Wilton Azevedo; Poética Digital; Humanidades Digitais; Ambiência Digital; Laboratório Digital

Texto completo:

PDF/A

Referências


AZEVEDO, Wilton. Interpoesia: o início da escritura expandida. 2009. Tese (Pós-Doutorado). Universidade de Paris, Laboratoire de Paragraphe, Paris – França.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

CAMARGO, Eduardo. A persona estendida e a internet das coisas. Publicado em: 28 fev. 2015. Disponível em: Acesso em: 18 abr. 2015.

CHALHUB, Samira. Funções da linguagem. 10. ed. São Paulo; Ática, 2001.

COSTA, Lígia M. da. A poética de Aristóteles: mímese e verossimilhança. São Paulo: Ática, 2006.

DEBRAY, Régis. Vida e morte da imagem: uma história do olhar no ocidente. Petrópolis-RJ: Vozes, 1993.

DELEUZE, Gilles. Cinema 1: a imagem- movimento. São Paulo: Brasiliense, 1985.

HUMANIDADES Digitais. Disponível em: Acesso em: 10 maio 2018.

LE GOLF. Memória e História. São Paulo: Papirus, 1999.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 4. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2001.

O VÍDEO-performance De Zen Leio. Disponível em: .

PELAES, Maria Lúcia Wochler; AZEVEDO, Wilton Luiz de. Artigo: A Criação de um vídeo-performance – O DeZenLeio- A Virtude do Passado: uma Produção do Laboratório de Humanidades Digitais do Mackenzie – LHUDI (p. 138). In: RENÓ, Denis Porto et al (Orgs.). Ficção e documentário: memória e transformação social. Rosário- Argentina: UNR Editora. Editorial de La Universidad Nacional de Rosário, 2016 (Livro digital). 694p. Disponível em: < https://drive.google.com/…/0B0p-tvqLOAUdZXlBZjhncnBSSUk/view> ISBN: 978-987-702-195-0

PIERCE, Charles Sanders. Semiótica. São Paulo: Perspectiva, 1977.

VIRADA Cultural. Obra De Zen Leio. Disponível em:




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-9288.2018v14n2p65



Direitos autorais 2018 MARIA LÚCIA WOCHLER PELAES

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Texto DigitalUniversidade Federal de Santa CatarinaFlorianópolisSanta Catarina, Brasil. ISSNe 1807-9288

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.