Convenções de interfaces digitais e leitura ou: para ler interfaces nos textos

Ana Elisa Costa Novais

Resumo


Um movimento que transporta convenções de interfaces digitais (botões, janelas, mensagens de sistema, ícones, entre outros) para textos impressos é o fenômeno em foco neste trabalho. Inicialmente, discuto a importância cultural das interfaces digitais em três dimensões: pensando-as como diálogo, como mídia remediada e como sistema semiótico específico, constituído de convenções que lhe são próprias. Em seguida, analiso seis textos que usam convenções de interface em sua composição multimodal, buscando, em diálogo com estudos e categorias do Design de Interação, elementos para esclarecer quais questões são essenciais na compreensão do que se espera do leitor hoje, com esses textos e essas novas formas de produzir sentido.


Palavras-chave


Leitura; Navegação; Interfaces digitais; Convenções de interface

Texto completo:

PDF/A

Referências


BAKTHIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BOLTER, Jay D.; GRUSIN, Richard. Remediation. Understanding new media. USA: MIT Press, 2000.

BOOMEN, Marianne van der. Transcoding the digital. How metaphors matter in new media. Amsterdan, Institute of Network Cultures, 2014. Disponível em: https://goo.gl/at1ffA. Acesso em: 17 mai. 2017.

BRAGA, Alexandre Santaella. Design de Interface: as origens do design e sua influência na produção da hipermídia. 2004. 135 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

BRIGS, Asa; BURKE, Peter. Uma história social da mídia: de Gutemberg à Internet. Trad. Maria Carmelita Pádua Dias. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

COLUSSO, Lucas Franco; PEREIRA, Alice Theresinha; GONÇALVES, Marilia Matos. Metáforas de interface. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM DESIGN, 10., 2012, São Luís. Anais... São Luís: UFMA. Disponível em: https://goo.gl/PMD2LA. Acesso em: 19 dez. 2016.

COLUSSO, Lucas Franco. Metáforas conceituais para design de hipermídias. 2014. 195f. Dissertação (Mestrado em Design) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

FERREIRO, Emilia. O ato de ler evolui. Revista Nova Escola. 01 jun. 2010. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/940/entrevista-com-emilia-ferreiro. Acesso em: 15 out. 2019.

JOHNSON, Steven. Cultura da Interface: como o computador transforma nossa maneira de criar e comunicar. Trad. Maria Luísa X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

LEITE, Jair; DE SOUZA, Clarisse. Uma linguagem de especificação para a engenharia semiótica de interfaces de usuário. In: WORKSHOP SOBRE FATORES HUMANOS EM SISTEMAS COMPUTACIONAIS, 2., 1999, Campinas, SP. Proceedings... Campinas, São Paulo, 1999. Disponível em: https://goo.gl/KBoqaH. Acesso em: 22 jan. 2017.

LEITÃO, C.F., SILVEIRA, M. S., DE SOUZA, C. S. Uma Introdução à Engenharia Semiótica: Conceitos e Métodos. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO SOBRE FATORES HUMANOS EM SISTEMAS COMPUTACIONAIS, 12., 2013, Manaus. Anais... Manaus, Amazonas, 2013. Disponível em: https://goo.gl/rnGyKu. Acesso em: 22 jan. 2017.

LÉVY, Pierre. Tecnologias da Inteligência. O futuro do pensamento na era da informática. Trad. Carlos Irineu Costa. Rio de Janeiro, Ed. 34, 1993. (Coleção TRANS).

LÉVY, Pierre. A ideografia dinâmica. Rumo a uma imaginação artificial? Trad. Marcos Marciolino e Saulo Krieger. São Paulo: Loyola, 1998.

MANOVICH, Lev. The language of new media. The MIT Press. Cambridge, Massachussetts. 2001.

MANOVICH, Lev. Novas mídias como tecnologia e ideia: dez definições. LEÃO, Lucia (Org.). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora SENAC, 2005. p. 24-50.

NADIN, Mihai. Interface design: a semiotic paradigm. Semiotica, Amsterdam, v. 69, n. 3-4, p. 269-302, 1988.

NOVAIS. Ana Elisa. Compreendendo a gramática das interfaces. 2008. 227f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

RIBEIRO, Ana Elisa. Navegar lendo, ler navegando. Aspectos do letramento digital e da leitura de jornais. 2008. 243f. Tese. (Doutorado em Estudos Linguísticos). Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

ROMAN, Arthur Roberto. O conceito de polifonia em Bakthin – o trajeto polifônico de uma metáfora. Letras, Curitiba, n.41-42, p. 195-205, 1992-93.

SANTAELLA, Lucia. Navegar no ciberespaço. O perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, 2004.

SIGNORINI, Inês; CAVALCANTI, Marilda C. Língua, linguagem e mediação tecnológica. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 49, n. 2, p. 419-440, jul./dez. 2010.

ZUMPANO, Antônio. A angústia da Interface. In: COSCARELLI, Carla; RIBEIRO, Ana Elisa. Letramento digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. 3. ed. Belo Horizonte: Ceale: Autêntica, 2011. p. 99-104.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-9288.2019v15n2p130



Direitos autorais 2020 Ana Elisa Costa Novais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Texto DigitalUniversidade Federal de Santa CatarinaFlorianópolisSanta Catarina, Brasil. ISSNe 1807-9288

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.