A avaliação da concordância verbal com o pronome tu em Florianópolis

Autores

  • Christiane Maria Nunes de Souza Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGLg) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Raquel Gomes Chaves Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGLg) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8420.2015v16n1p170

Palavras-chave:

Concordância verbal de P2, Avaliação, Florianópolis

Resumo

Neste artigo, com base nos pressupostos da Sociolinguística Variacionista (WEINREICH, LABOV, HERZOG, 1968; LABOV, 1972, 1982, 1994, 2001, 2010), buscamos indícios de como o fenômeno variável de concordância verbal com o pronome tu (tu/Ø falas ~ tu/Ø fala, tu/Ø  falaste ~ tu/Ø falasse ~ tu/Ø falou) é avaliado na cidade de Florianópolis. Com essa finalidade, aplicamos um teste de avaliação a 22 alunos do curso de Economia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Os resultados evidenciam uma correlação entre a diminuição das taxas percentuais de concordância verificada em Florianópolis (LOREGIAN-PENKAL, 2004; DAVET, 2013) e uma avaliação positiva/neutra da não marcação da concordância.

Biografia do Autor

Christiane Maria Nunes de Souza, Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGLg) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

É graduada em Letras-Inglês pela Universidade Federal de Santa Catarina e mestra em Linguística pela mesma instituição. Atualmente, é doutoranda no Programa de Pós-graduação em Linguística da UFSC.

Raquel Gomes Chaves, Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGLg) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Graduada em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG), é mestra em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Atualmente, é aluna em nível de doutorado do programa de Pós-graduação em Linguística (PPGLg) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Downloads

Publicado

2015-09-20