A próclise em sentenças infinitivas preposicionadas em PB

Autores

  • Marco Antonio Martins Universidade Federal do Rio Grande do Norte/CNPq
  • Geison Luca de Sena Pereira Sena Pereira Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8420.2016v17n1p43

Palavras-chave:

Próclise, Sentenças infinitivas preposicionadas, Traços-V, Traços-AGR

Resumo

Apresentamos, neste artigo, uma análise formal para a colocação de clíticos em sentenças infinitivas preposicionadas no português brasileiro (PB). A análise se baseia no trabalho desenvolvido por Sena Pereira (2015) que aborda a colocação de clíticos nesse contexto na escrita brasileira dos séculos XIX e XX. Nossa proposta é que preposições que ocupam o núcleo de CP motivam mudanças nos valores atribuídos aos traços-phi e aos traços-V fortes nas categorias funcionais COMP, Tempo e Pessoa no PB. Defendemos que em tal configuração a próclise em PB é derivada do movimento do verbo para a categoria funcional Tempo em que há a associação de traços [+V] e traços [+AGR].

 

Biografia do Autor

Marco Antonio Martins, Universidade Federal do Rio Grande do Norte/CNPq

Professor do Departamento de Língua e Literatura Vernáculas da Universidade Federal de Santa Catarina e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística da mesma IES.

Geison Luca de Sena Pereira Sena Pereira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Mestre em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Downloads

Publicado

2016-12-23

Edição

Seção

Artigos