Tabus linguísticos como motivação na formação de palavras do PB

Carlos Antônio Magalhaes Guedelha

Resumo


O objetivo deste artigo é refletir sobre palavras da língua portuguesa em cuja formação são percebidos traços do fenômeno conhecido como tabu linguístico. Nesse sentido, discorremos inicialmente sobre os processos de formação de palavras, traçando um paralelo entre os conceitos cristalizados nas gramáticas normativas e as considerações teóricas de linguistas que se dedicam ao estudo da morfologia. Em seguida, focalizamos a questão dos tabus linguísticos a partir de estudos já realizados por alguns teóricos, cujos livros, somados aos dicionários Ferreira (1989) e Houaiss (2001), forneceram o corpus de 250 palavras utilizado como conjunto de dados para análise à luz do escopo teórico levantado. Em nossa análise, partimos da concepção, já esboçada por Saussure, de que os estudos morfológicos não podem prescindir da sintaxe e da semântica, já que forma, função e sentido são solidários e interdependentes.


Palavras-chave


Português brasileiro; Formação de palavras; Tabus linguísticos

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8420.2011v12n2p49

Working Papers em Linguística, ISSN 1984-8420, Florianópolis (Santa Catarina), Brasil

 

CC-by-NC icon
Esta obra está licenciada sob licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.