Geografia da destruição em Conversación al Sur doi:10.5007/2176-8552.2009n8p99

Autores

  • Susan Aparecida de Oliveira Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Memória, Ditadura, Sur, Buenos Aires, Montevidéu

Resumo

O presente artigo sobre Conversación al Sur (1981) de Marta Traba,procura localizar a constituição do Sur como um espaço labiríntico e opaco que se vai formando em Buenos Aires e Montevidéu, tanto pela impossibilidade da manutenção das experiências de sociabilidade urbana como em razão da política do esquecimento estabelecida pelos procedimentos das ditaduras militares.

Biografia do Autor

Susan Aparecida de Oliveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006), com mestrado em Literatura (2001) e graduação em geografia (1993) ambos, também, pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é professora adjunta da UFSC. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em literatura portuguesa, literaturas africanas de lingua portuguesa e teoria literária. Tem como principais temas de pesquisa e interesse as estéticas e políticas de memória que expressem articulações a eventos extremos como o colonialismo, o autoritarismo e as guerras do século XX e, também, a constituição das "epistemologias do Sul" com base na presença da oralidade e da música nos processos de transculturação ocorridos entre a África e a América Latina a partir da colonização ibérica. Na UFSC, participa da criação do Núcleo de Estudos Africanos e Afrolatinos e do Núcleo de Estudos Poético-musicais (NEPOM) da UFSC do qual, atualmente, é coordenadora.

Downloads

Publicado

2009-12-07