Cenas da escrita: Cixous e Akhmatova

Olga Donata Guerizoli Kempinska

Resumo


Este artigo debruça-se sobre a peça de Hélène Cixous Vela Preta Vela Branca, encontrando nela uma interessante provocação para se discutir a definição e o alcance da escrita feminina. Com a personagem da poeta russa Anna Akhmatova, Cixous propõe instalar uma cena da escrita eminentemente política, na qual o gesto de escrever não se encerra na intimidade de um texto-corpo e forçosamente exige o gesto de publicar. O corpo, a histeria, a maternidade, a sexualidade e a amizade, temas importantes no pensamento teórico de Cixous, encontram-se aqui colocados em uma relação estreita com a angústia da morte e do apagamento da memória cultural. A cena da escrita, através das imagens ambíguas do poema como lágrima, como feto e como filho, tem como sua vocação a abertura e a multiplicação.


Palavras-chave


Teatralidade; Escrita feminina; Cixous; Akhmatova

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2176-8552.2013n16p91



outra travessia, eISSN 2176-8552, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

CC-by-NC icon
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.