A Quarta Dimensão do Instante-Já

Marcele Aires Franceschini

Resumo


O presente artigo, cujo título faz referência a uma citação de Clarice Lispector em Água Viva (1973), trabalha a questão temporal na obra da autora, levando-se em conta apontamentos da Física Quântica para explicar a dinâmica não linear do tempo, incluindo-se questões da Teoria da Relatividade. Prezou-se relacionar o conceito de quadrimensão, que tanto influenciou os artistas de vanguarda, derrubando-se o valor de tempo-cronológico na literatura. Além de Einstein, Minkowski, Sagan e Hawking, o texto se respalda no tempo de duração interior de Bergson, bem como em concepções de Heidegger. A relação de circularidade também foi levantada, dialogando a obra de Lispector com o quadro “Urutu” (1928), de Tarsila do Amaral. 


Palavras-chave


Água viva; quadrimensão; tempo ontológico

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2176-8552.2015n20p49



outra travessia, eISSN 2176-8552, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

CC-by-NC icon
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.