O monstro invisível: o abalo das fronteiras entre monstruosidade e humanidade

Autores

  • Juliana Ciambra Rahe Bertin UFMS/CPTL

DOI:

https://doi.org/10.5007/2176-8552.2016n22p37

Palavras-chave:

Monstruosidade, Monstro comportamental, Literatura brasileira

Resumo

Este trabalho tem como objetivo investigar como o monstro moderno
se apresenta na literatura. No deslocamento do monstro físico para o monstro
moral, identificado por Foucault, a monstruosidade deixa de ser visualmente
identificável no aspecto físico. Pretendemos mostrar como outros atributos
que integram a configuração da monstruosidade também passam por transformação,
pontuando nossa análise com exemplos de textos literários da literatura
inglesa do século XIX e de narrativas literárias brasileiras de Machado de
Assis, Rubem Fonseca e Lourenço Mutarelli. Nosso objetivo é apontar como
a atualização das características dos monstros acaba aproximando tais figuras
cada vez mais do humano, em um deslocamento que embaça as fronteiras que
separam nós e eles, identidade e alteridade, humanidade e monstruosidade

Biografia do Autor

Juliana Ciambra Rahe Bertin, UFMS/CPTL

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2009) e mestrado em Estudos de Linguagens pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2012). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: telenovela, adaptação, horror, literatura e cinema.

Downloads

Publicado

2016-08-18