A paráfrase

Autores

  • Nadier Santos Université Paris 8 Vincennes - Saint-Denis
  • Odára Raquel Kunkler Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

DOI:

https://doi.org/10.5007/2176-8552.2016n22p91

Palavras-chave:

Paráfrase, Escrita, Trabalho

Resumo

Em novembro de 2015, em seu primeiro número, a revista Conséquence se dirige a alguns filósofos para submeter-lhes um instigante e difícil questionamento a propósito de sua forma de escrever, mais especificamente, a respeito das relações de determinações mútuas entre seus estilos e seus métodos, seus objetos de especulação e suas exigências éticas e existenciais. Nesse contexto, trazemos aqui a contribuição de Jacques Rancière. Obviamente a consequência imediata não poderia ser outra que a de trazer à luz um texto no qual a singularidade dá a tônica. Com efeito, nesse curto texto Rancière volta-se sobre seu próprio trabalho e fornece valiosas informações sobre sua escrita e de como ela se relaciona com uma forma particular de estar no mundo, de conceber e fazer comunidade. Delineando um universo no qual pensar e escrever se indiferenciam, e onde A noite dos proletários (1981) e Aisthesis (2011) são mencionados, Rancière discute como toma parte na circulação da escrita, que para ele se configura enquanto espaço de anonimato e igualdade aberto a potencialidades capazes de engendrar e pôr em movimento o novo. Aqui a escrita deixa de ser meio de expressão para se tornar ela mesma trabalho do pensamento e elemento determinante de seus desdobramentos, dos possíveis percursos entre o visível, o dizível e o pensável.

Biografia do Autor

Nadier Santos, Université Paris 8 Vincennes - Saint-Denis

Doutorando em Filosofia na Université Paris 8 Vincennes - Saint-Denis. Mestra em Literatura Comparada pelo Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Graduado em Administração e em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Odára Raquel Kunkler, Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Doutoranda em Literatura Comparada pelo Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Mestre em Literatura Comparada pelo Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Graduada em Jornalismo pela Universidade Potiguar e em Língua Francesa e Literaturas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Atualmente é professora substituta da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Publicado

2016-08-18