Experiência e memória em Os anéis de Saturno de W.G. Sebald: a ética/política da arte narrativa sebaldiana

Belisario Zalazar

Resumo


Neste trabalho propomos refazer os caminhos da memória definida
pelo narrador de Os anéis de Saturno, cujo trabalho árduo e doloroso envolve o
negativo da fotografia da história do próprio progresso do relato da Modernidade,
revelando o desastre e a destruição perpetrados pelo chamado processo
de modernização capitalista. A narrativa sebaldiana neste ponto coincide com
o projeto filosófico de Walter Benjamin, conforme descrito em suas teses “Sobre
o conceito de história”.


Palavras-chave


Memória; História; Modernidade; Catástrofes

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2176-8552.2017n23p53



outra travessia, eISSN 2176-8552, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

CC-by-NC icon
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.