O “futuro Vigor” e o contemporâneo: aspectos da energia em Nathalie Quintane

Paula Glenadel

Resumo


A tradicional função da arte como mediadora no círculo hermenêutico ou no círculo da dialética especulativa, descrita por Jacques Derrida em La vérité en peinture, pode ser contrastada com uma abordagem diferente, de que a poesia francesa da modernidade já dá notícias em suas representações acerca da ideia de energia. A partir dessa perspectiva, pode-se situar a escrita de Nathalie Quintane na tensão entre parergon e obra, na ênfase dada à performatividade da linguagem poética como força política, que encenam a produção de uma energia revolucionária e deslizam a fórmula rimbaldiana do “futuro Vigor” na direção das questões colocadas pela contemporaneidade.


Palavras-chave


Poesia francesa; Modernidade; Contemporaneidade; Energia; Ética

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2176-8552.2017n24p5



outra travessia, eISSN 2176-8552, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

CC-by-NC icon
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.