Três comédias de Shakespeare pela ótica do Stablex

Marly Gondim Cavalcanti Souza

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2176-8552.2011nesp1p119

Pretende-se, neste estudo, proceder a análise de três comédias de William Shakespeare, pela ótica do método de análise lexical, textual e discursiva, aplicando, especificamente, a ferramenta matemático-estatístico-computacional, denominada Stablex, de autoria de André Camlong e Thierry Beltran (2004).Toma-se como viés de análise o aspecto musical presente no texto das três peças teatrais. Metodologicamente, trilhou-se o caminho do estudo comparativo entre as obras shakespearianas, tendo como horizonte a colaboração da música na expressão verbal dos textos teatrais do autor inglês, com o intuito de localizar os vocabulários preferenciais e o peso dos itens lexicais relacionados à música, na obra do talvez mais famoso escritor de língua inglesa. O fundamento para as evidências musicais repousa sobre a teoria e a história da música, bem como nos seus elementos básicos. As teorias tomadas como alicerce deste estudo são as de: Jean-Louis Cupers (1988), Arroyas (2001), Solange Oliveira (2002), André Camlong (1996) e Steven Paul Scher (apud OLIVEIRA, 2002).


Palavras-chave


Literatura Comparada; Estatística; Shakespeare; Comédias; Música

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2176-8552.2011nesp1p119



outra travessia, eISSN 2176-8552, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

CC-by-NC icon
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.