A impossibilidade de morrer e a desconstrução da morte

Jerônimo Milone

Resumo


Focando-se na questão da morte e da impossibilidade de morrer dentro do pensamento de Blanchot, este trabalho pretende ressaltar a importância desta temática fundamental ao debate ético-político. Salientando a influência de Levinas, e indiretamente a de Rosenzweig, tem-se por objetivo desvincular a abordagem da morte em Blanchot dos pensamentos de Heidegger, Hegel, e também de Bataille. Deste modo, orientar a questão para a relação da impossibilidade de morrer com a desconstrução da morte exposta por Derrida em seu Séminaire La peine de mort. E, por fim, demonstrar por que Blanchot excede os pensamentos tradicionais a respeito da morte e dirige-se a uma complexificação que o torna mais próximo à crítica da metafísica feita por Derrida.

 


Palavras-chave


impossibilidade de morrer; desconstrução; pena de morte; Blanchot; Derrida

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2176-8552.2015n18p41



outra travessia, eISSN 2176-8552, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

CC-by-NC icon
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.