Do recado da terra aos sinais das estrelas: as lendas e mitos como marcas identitárias em Mia Couto

Tatiana Alves Soares Caldas

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2176-8552.2016n20p185

Estórias Abensonhadas, livro de contos publicado em 1994, é marcado pela recuperação de valores e por um traço característico de praticamente todos os contos que o integram, e que se faz presente em muitas narrativas do período pós-colonial: a perspectiva do sonho em meio à violência e à guerra. Por meio de histórias que remetem a mitos e lendas do imaginário africano, ocorre o resgate de traços soterrados por um passado colonial e por guerras civis. O emergir da ancestralidade e das tradições locais surge como algo fundamental à construção de uma identidade moçambicana, numa proposta que se faz a partir dos valores da terra. Os contos que integram a obra traduzem a perspectiva do sonho em uma terra que aos poucos se reconstrói. Vendo em tais narrativas uma tentativa simultânea de resistência aos valores pragmáticos impostos pelo colonizador e de resgate de uma identidade calcada na oralidade e nos mitos de origem, nosso estudo busca analisar tais manifestações nos referidos contos como mecanismos de afirmação e de reconstrução de uma identidade nacional.


Palavras-chave


Mia Couto; Ancestralidade; Mitos; Memória; Resistência

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2176-8552.2015n20p185



outra travessia, eISSN 2176-8552, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

CC-by-NC icon
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.