Estresse no trabalho: estudo de caso com gerentes que atuam em uma instituição financeira nacional de grande porte

Luciano Zille Pereira, Clarissa Daguer Braga, Antônio Luiz Marques

Resumo


Com o objetivo de identificar os principais fatores causadores e diagnosticar o nível de estresse ocupacional na função gerencial em uma instituição financeira privada de âmbito nacional, com atuação na cidade de Belo Horizonte/MG, esta pesquisa, de natureza descritiva e explicativa, utilizando o MTEG (ZILLE, 2005), apontou a insegurança nas relações de trabalho, as metas super dimensionadas, o nível de cobrança excessiva, o quadro de funcionários aquém das necessidades da instituição e dificuldades nas relações pessoais, bem como algumas das principais causas de tensão excessiva no ambiente de trabalho, capazes de explicar níveis importantes de estresse para esta categoria funcional. Os resultados revelaram que cerca de 150 dos 168 gerentes pesquisados, ou seja, 89,10% foram diagnosticados com um quadro de estresse. Dentro desse diagnóstico, 59 gerentes (35,21%) apresentaram estresse de leve a moderado; 69 (40,97%) estresse intenso; e 22 (12,92%) estresse muito intenso.


Palavras-chave


Estresse ocupacional; Fontes de tensão; Função gerencial; Instituições

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8069.2008v10n21p175

Revista de Ciências da Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Administração, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Para entrar em contato com a equipe editorial da Revista RCA, encaminhe um e-mail para rca.cse@contato.ufsc.br

ISSNe 2175-8077    ISSN 1516-3865

Licença Creative Commons
This obra is licensed under a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.