Avaliação do CAPM Condicional Não Paramétrico no Mercado de Ações do Brasil

Autores

  • Daniel Reed Bergmann Universidade Nove de Julho - Uninove
  • Marcela Monteiro Galeno Universidade de São Paulo
  • José Roberto Securato Universidade de São Paulo
  • José Roberto Ferreira Savoia Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8077.2014v16n38p213

Palavras-chave:

Modelo de Precificação de Ativos de Capital, Modelo Condicional Não Paramétrico, Retornos de Ações de Empresas Brasileiras

Resumo

Esse artigo analisa a evolução do retorno e risco sistemático das carteiras de 11 setores da economia brasileira através do modelo do CAPM condicional não paramétrico, proposto por Wang (2002). São utilizadas quatro variáveis explicativas: (i) o nível da produção industrial brasileira; (ii) o agregado monetário M4; (iii) a inflação, representada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA); e (iv) a taxa de câmbio real-dólar, obtida pela cotação do dólar PTAX. A amostra compreendeu ações listadas na BOVESPA no período de janeiro de 2002 a dezembro de 2009. Os testes do modelo Wang seguiram também a metodologia de Castillo-Spíndola (2006) para economias emergentes. Os resultados encontrados indicam que o CAPM condicional não paramétrico de Wang é robusto para a explicação dos retornos das carteiras da amostra considerada, sendo que duas das quatro variáveis testadas, i.e., M4 e dólar PTAX, foram significativas ao nível de 5%.

Biografia do Autor

Daniel Reed Bergmann, Universidade Nove de Julho - Uninove

Professor Doutor do Mestrado Profissional em Gestão de Projetos da UNINOVE

Marcela Monteiro Galeno, Universidade de São Paulo

Mestre em Administração pela FEA-USP

José Roberto Securato, Universidade de São Paulo

Professor Titular em Finanças do Departamento de Administração da FEA-USP

José Roberto Ferreira Savoia, Universidade de São Paulo

Professor Doutor em Finanças do Departamento de Administração da FEA-USP

Downloads

Publicado

2014-04-14

Edição

Seção

Artigos