Convergências e Divergências Teóricas da Sociologia Ambiental para Análise de Política Ambiental Brasileira

Autores

  • Erika Paixão de Campos Universidade Federal de Rondônia (UNIR)
  • Osmar Siena Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8077.2018v20n50p61

Palavras-chave:

Análise. Política ambiental. Sociologia ambiental

Resumo

Na análise da política ambiental no Brasil, predominam as perspectivas orientadas pelo conceito de “desenvolvimento sustentável”. No entanto, há outras possibilidades. Utilizando-se da revisão sistemática integrativa, este trabalho buscou identificar convergências e divergências teóricas com base em três lentes teóricas caracterizadas como “sociologia ambiental”: modernização ecológica, sociedade de risco e modernidade tardia. O objetivo foi o de extrair conteúdo direcionado para a análise da política ambiental brasileira. De modo geral, as três abordagens discutidas tratam da crise ambiental e da modernidade e criticam a política convencional, sugerindo maior participação nas políticas. Uma das divergências centrais diz respeito à relação entre modernização e meio ambiente: a modernização ecológica defende a possibilidade de conciliar a modernização e o meio ambiente no modelo de produção vigente e aborda mecanismos que possam contribuir para esse objetivo. Na sociedade de risco e na modernidade tardia isso nem sempre é possível devido ao papel paradoxal da ciência e da tecnologia.

Biografia do Autor

Erika Paixão de Campos, Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Programa de Pós-Gradução: Mestrado em Administração (PPGMAD)

Osmar Siena, Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Programa de Pós-Gradução: Mestrado em Administração (PPGMAD)

Downloads

Publicado

2018-04-29

Edição

Seção

Artigos