Comunicação química em veados-catingueiros (Mazama gouazoubira) na natureza

Juliano André Bogoni, Rafael Barbizan Sühs, Maurício Eduardo Graipel, Nivaldo Peroni

Resumo


A comunicação química, em especial a marcação odorífera, é intensa em veados, com a marcação de território feita principalmente pelos machos. Apresentamos gravações em vídeo de pelo menos dois veados-catingueiros (macho e fêmea) que estão desenvolvendo comunicação química através de marcas de cheiro. Os vídeos demonstram a deposição de fezes e urina várias vezes pelos animais, provavelmente para o desenvolvimento de interação intrassexual e secundariamente para demarcações territoriais. A comunicação química observada é possivelmente relacionada à reprodução. Essas marcas territoriais são particularmente importantes para evitar a competição intraespecífica por recursos e parceiros sexuais.


Palavras-chave


Armadilhas fotográficas; Comportamento; Comunicação intraespecífica; Mata Atlântica

Texto completo:

PDF/A (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2017v30n1p113

Direitos autorais 2017 Juliano André Bogoni, Rafael Barbizan Sühs, Maurício Eduardo Graipel, Nivaldo Peroni

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.