Compondo subjetivações biografemáticas: A arte como dispositivo nas práticas em saúde mental

Conteúdo do artigo principal

Luis Artur Costa

Resumo

Partindo a experiência com oficinas autoetnográficas ficto-documentais que mesclam práticas das artes (plásticas, dramáticas, literárias, visuais) com da saúde mental, o presente artigo propõe uma compreensão teórica e metodológica dos modos e operações através dos quais podem se dar a relação entre Artes e Ciências no contexto da Saúde Mental. Para tanto, revisitamos as relações entre Arte e Conhecimento e inquiridos quais diferentes éticas podem promover modos de utilizar as artes de maneiras muito diversas. Estabelecendo alguns dos diferentes estilos de mesclar as artes às práticas de saúde mental, passamos a apresentar nosso próprio modo e articulá-lo com a experiência das oficinas.

Detalhes do artigo

Como Citar
COSTA, Luis Artur. Compondo subjetivações biografemáticas: A arte como dispositivo nas práticas em saúde mental. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 8, n. 18, p. 04–24, 2016. DOI: 10.5007/cbsm.v8i18.69210. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69210. Acesso em: 23 fev. 2024.
Seção
Trabalho com Cultura e Arte: Implicações em Saúde Mental e Atenção Psicossocial
Biografia do Autor

Luis Artur Costa, Programa de pós-graduação em Psicologia Social e Institucional (PPGPSI) e Departamento de Psicologia Social e Institucional do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Docente do Programa de pós-graduação em Psicologia Social e Institucional (PPGPSI) e do Departamento de Psicologia Social e Institucional no Instituto de Psicologia da UFRGS.