Percursos formativos na rede de atenção psicossocial: RAPS de Santo André/SP

Maria Regina Tonin, Graziella Barbosa Barreiros, Ana Beatriz Barbosa Barreiros

Resumo


O Projeto Percursos Formativos (PF) contempla ações de Formação e Educação Permanente, com supervisão clínico institucional e troca de experiência entre profissionais de, no mínino, 06 municípios (módulo de 01 rede preceptora + 05 redes em formação), por edital de seleção do Ministério da Saúde (MS). Santo André submeteu 02 propostas, onde se candidatava como rede preceptora para 02 módulos. As propostas foram aprovadas, envolvendo 12 redes em formação. Desde julho de 2014, o município recebe 24 profissionais/mês, de diferentes municípios (01 dupla / cidade) do: Acre; Pará; Ceará; Pernambuco; Tocantins; Paraná; Santa Catarina; Rio Grande do Sul e São Paulo. Estes ficam imersos no cotidiano da RAPS – SA, trocando experiências com seus trabalhadores e usuários. De acordo com o vivenciado em nosso município (como em tantos outros - o PF Brasil envolve 15 redes preceptoras e 82 redes em formação) os Percursos Formativos se revelaram estratégia muito efetiva para: Resgatar e divulgar história, valores, princípios fundamentais e a vida política da RAPS, criticar, corrigir e/ou validar tecnologias e estratégias desenvolvidas no decorrer da Reforma Psiquiátrica e estruturação da RAPS.

Palavras-chave


Educação Permanente; Imersão; Rede de Atenção psicossocial; Formação.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.