Saúde Mental infantojuvenil e atenção básica à saúde: percepções de profissionais sobre as redes estabelecidas para o cuidado

Conteúdo do artigo principal

Amanda Dourado Souza Akahosi Fernandes
https://orcid.org/0000-0001-8006-8117
Ranizis Aparecida Sebold
Thelma Simões Matsukura
Maria Fernanda Barboza Cid

Resumo

Dentre as funções da Atenção Básica à Saúde (ABS) nas Redes de Atenção à Saúde (RAS), está a de coordenadora do cuidado, se configurando como o centro de comunicação entre os diversos pontos da atenção. No âmbito da saúde mental, estudos têm revelado sobre os desafios do cuidado à população em sofrimento psíquico no contexto da ABS. Assim, o objetivo do presente estudo foi compreender, sob a ótica de profissionais de Unidades de Saúde da ABS, sobre as redes estabelecidas por estes serviços no cuidado à saúde mental infantojuvenil. Trata-se de um estudo de abordagem qualiquantitativa, que teve como participantes gestores e/ou profissionais de 10 Unidades de Saúde de um município do Estado de São Paulo. A coleta de dados foi realizada presencialmente e o instrumento utilizado foi um questionário semiestruturado. Os dados foram analisados por meio de análise estatística descritiva e para as questões abertas do questionário, as mesmas foram analisadas pela técnica de análise categorial. Os resultados apontaram que os participantes percebem as famílias envolvidas no cuidado, geralmente apresentando a demanda e solicitando apoio. Além disso, os participantes citaram principalmente os equipamentos da saúde ao relatarem sobre as ações em rede, sendo que apenas quatro relataram que realizam parcerias com as escolas. Os resultados foram discutidos à luz das políticas públicas existentes e do referencial teórico da atenção psicossocial. Considera-se que o estudo avança ao demonstrar as percepções de profissionais da ABS sobre o estabelecimento das redes de cuidado à saúde mental infantojuvenil.

Detalhes do artigo

Como Citar
FERNANDES, Amanda Dourado Souza Akahosi; SEBOLD, Ranizis Aparecida; MATSUKURA, Thelma Simões; CID, Maria Fernanda Barboza. Saúde Mental infantojuvenil e atenção básica à saúde: percepções de profissionais sobre as redes estabelecidas para o cuidado. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 12, n. 31, p. 103–119, 2020. DOI: 10.5007/cbsm.v12i31.69748. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69748. Acesso em: 23 jul. 2024.
Seção
ATENÇÃO PSICOSSOCIAL A CRIANÇAS E ADOLESCENTES