O papel do suporte de pares no processo de Recovery: A experiência do programa Entrelaços

Autores

Palavras-chave:

Saúde Mental, Atenção psicossocial, Reforma psiquiátrica

Resumo

A reforma psiquiátrica brasileira preconiza ações intersetoriais que ampliem a ocupação do território e a representatividade social e cultural dos usuários da saúde mental. Iniciativas que fomentem o empoderamento e a transformação dos usuários e seus familiares em forças instituintes capazes de reverter a hierarquização e a cultura de tutela e medicalização dos serviços substitutivos são prioridades da reforma. O objetivo desse estudo é compreender a experiência de usuários em grupos comunitários autônomos de suporte de pares oriundos de um programa de psicoeducação de família no contexto da reforma psiquiátrica. Nove usuários que participam dos grupos foram entrevistados através de um questionário semiestruturado e os dados foram analisados de acordo com o método da fenomenologia hermenêutica de Max Van Manen. A participação deles no programa e nos grupos de pares permitiu a mudança de paradigma da doença mental centrada na visão da psiquiatria tradicional para uma visão mais esperançosa calcada no ideal do recovery, descentralizada da doença e mobilizadora dos potenciais do sujeito, capaz de reduzir o estigma e motivá-los a serem autores de sua própria história. O exemplo dos pares e as partilhas focadas em propor objetivos e soluções permitiram o desenvolvimento de uma expertise própria, que proporcionou maior autoconhecimento e autodeterminação, ampliando os campos de ação individual e coletiva, social e cultural. A experiência possibilitou maior empoderamento e contratualidade entre os usuários, ocupação de novos espaços comunitários e disseminação do paradigma do recovery, ideais condizentes com o atual momento da reforma psiquiátrica brasileira.

Biografia do Autor

Leonardo Figueiredo Palmeira, Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Setor de Terapia de Família do Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Olga Leão, Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Setor de Terapia de Família do Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Elias Carim Neto, Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Setor de Terapia de Família do Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Silvana Barreto, Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Setor de Terapia de Família do Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Rita de Cassia Ribeiro, Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Setor de Terapia de Família do Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Alexandre Lins Keusen, Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Setor de Terapia de Família do Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Maria Tavares Cavalcanti, Instituto de Psiquiatria da UFRJ/IPUB

Professora Titular do Instituto de Psiquiatria da UFRJ

Referências

ALVES, Tarcísia Castro; DE OLIVEIRA, Walter Ferreira; VASCONCELOS, Eduardo Mourão. A visão de usuários, familiares e profissionais acerca do empoderamento em saúde mental. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 23, n. 1, p. 51–71, 2013.

AMARANTE, Paulo. Loucos pela vida: a trajetória da reforma psiquiátrica no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 136 p. 1998.

ANASTÁCIO, Camilia Cardoso; FURTADO, Juarez Pereira. Reabilitação psicossocial e recovery: conceitos e influências nos serviços oferecidos pelo sistema de saúde mental. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, v. 4, n. 9, p. 72-83, 2012.

BARBOSA, Valquiria Farias Bezerra; CAPONI, Sandra Noemi; VERDI, Marta Inez Machado. Risco como perigo persistente e cuidado em saúde mental: sanções normalizadoras à circulação no território. Saúde e Sociedade, v. 27, n. 1, p. 175-184, Jan. 2018.

BARROS, Sônia; OLIVEIRA, Márcia Aparecida Ferreira de; SILVA, Ana Luisa Aranha. Práticas inovadoras para o cuidado em saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 41, n. spe, p. 815-819, Dec. 2007.

BASAGLIA, F. A instituição negada: relato de um hospital psiquiátrico. Rio de Janeiro: Graal, 326 p. 1991.

BEBBINGTON, Paul; KUIPERS, Liz. The predictive utility of expressed emotion in schizophrenia: An aggregate analysis. Psychological Medicine, v. 24, n. 3, p. 707–718, Jan. 1994.

BIELEMANN, Valquíria de Lourdes Machado et al. A inserção da família nos centros de atenção psicossocial sob a ótica de seus atores sociais. Texto & Contexto - Enfermagem, v. 18, n. 1, p. 131-139, Mar. 2009.

BONGIOVANNI, Julia; SILVA, Rosane Azevedo Neves da. Desafios da desinstitucionalização no contexto dos serviços substitutivos de saúde mental. Psicologia & Sociedade, v. 31, e190259, Epub, Apr. 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-0310/2019v31190259. Acesso em 12 jul. 2020.

BROWN, George W.; RUTTER, Michael. The Measurement of Family Activities and Relationships: A Methodological Study. Human Relations, v. 19, n. 3, p. 241–263, Aug. 1966.

BUTZLAFF, Ronald L.; HOOLEY, Jill M. Expressed emotion and psychiatric relapse: A meta-analysis. Archives of General Psychiatry, v. 55, n. 6, p. 547–552, Jun. 1998.

CAMPOS, Gastão Wagner de Sousa; AMARAL, Márcia Aparecida do. A clínica ampliada e compartilhada, a gestão democrática e redes de atenção como referenciais teórico-operacionais para a reforma do hospital. Ciência & Saúde Coletiva, v. 12, n. 4, p. 849-859, Aug. 2007.

CARKHUFF, Robert R. New directions in training for the helping professions: Toward a technology for human and community resource development. The Counseling Psychologist, v. 3, n. 3, p. 12–30, Sep. 1972.

CARVALHO, Sérgio Resende; GASTALDO, Denise. Promoção à saúde e empoderamento: Uma reflexão a partir das perspectivas crítico-social pós-estruturalista. Ciência & Saúde Coletiva, v. 13, supl. 2, p. 2029-2040, Dec. 2008.

CHINMAN, L. et al. Early experiences of employing consumer-providers in the VA. Psychiatric Services, v. 59, n. 11, p. 1315–1321, Nov. 2008.

D’ZURILLA, Thomas J.; NEZU, Arthur M.; MAYDEU-OLIVARES, Albert. Social Problem Solving: Theory and Assessment. In: CHANG, Edward; D’ZURILLA, Thomas.; SANNA, Lawrence (org.). Social problem solving: Theory, research, and training. Washington: American Psychological Association, p. 11–27, 2004

DAVIDSON, Larry et al. Remission and recovery in schizophrenia: Practitioner and patient perspectives. Schizophrenia Bulletin, v. 34, n. 1, p. 5–8, Jan. 2008.

DAVIDSON, Larry et al. Peer support among persons with severe mental illnesses: A review of evidence and experience. World Psychiatry, v. 11, n. 2, p. 123–128, Jun. 2012.

DE ALMEIDA, Kamila Siqueira; DIMENSTEIN, Magda; SEVERO, Ana Kalliny. Empoderamento e atenção psicossocial: Notas sobre uma associação de saúde mental. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, v. 14, n. 34, p. 577-592, Sep. 2010.

DEEGAN, Patricia E. Recovery: The lived experience of rehabilitation. Psychosocial Rehabilitation Journal, v. 11, n. 4, p. 11–19, Apr. 1988.

DIMENSTEIN, Magda et al. Estratégia da Atenção Psicossocial e participação da família no cuidado em saúde mental. Physis: Revista Saúde Coletiva, v. 20, n. 4, Dec. 2010.

FARKAS, Marianne. The vision of recovery today: what it is and what it means for services. World Psychiatry, v. 6, n. 2, p. 68-74, Jun. 2007.

FESTINGER, Leon. A Theory of Social Comparison Processes. Human Relations, v. 7, n. 2, p. 117–140, May. 1954.

FIGUEIRÓ, Rafael de Albuquerque; DIMENSTEIN, Magda. O cotidiano de usuários de CAPS: empoderamento ou captura? Fractal : Revista de Psicologia, v. 22, n. 2, p. 431–446, Aug. 2010.

KAVANAGH, David J. Recent developments in expressed emotion and schizophrenia. British Journal of Psychiatry, v. 160, n. 5, p. 601–620, May. 1992.

KEUSEN, Alexandre. A família como parceiro dos cuidados na era da desinstitucionalização. Anais do III Congresso Brasileiro de Terapia Familiar, Rio de Janeiro, p. 334–338, 1998.

LEAMY Mary et al. Conceptual framework for personal recovery in mental health: systematic review and narrative synthesis. British Journal of Psychiatry, v. 199, n. 6, p. 445–452, Dec. 2011.

LLEWELLYN-BEARDSLEY, Joy et al. Characteristics of mental health recovery narratives: Systematic review and narrative synthesis. PLoS ONE, v. 14, n. 3, Mar. 2019.

MARTÍNEZ-HERNÁEZ, Angel. Fora de cena: a loucura, o obsceno e o senso comum. Revista Internacional Interdisciplinar INTERthesis, v. 9, n. 2, p. 1-19, Jul. 2012.

MIYAMOTO, Yuki; SONO, T. Lessons from Peer Support Among Individuals with Mental Health Difficulties: A Review of the Literature. Clinical Practice & Epidemiology in Mental Health, v. 8, n. 1, p. 22–29, Apr. 2012.

MOREIRA, Virginia. O método fenomenológico de Merleau-Ponty como ferramenta crítica na pesquisa em psicopatologia. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 17, n. 3, p. 447-456, 2004.

NUECHTERLEIN, Keith H. et al. Developmental processes in schizophrenic disorders: Longitudinal studies of vulnerability and stress. Schizophrenia Bulletin, v. 18, n. 3, p. 387–425, Jan. 1992.

PELLETIER, Jean-François. et al. Citizenship and recovery: two intertwined concepts for civic-recovery. BMC Psychiatry, v. 15, n. 37, Mar. 2015.

SALZER, Mark S.; SHEAR, Shoshanna Liptzin. Identifying consumer-provider benefits in evaluations of consumer-delivered services. Psychiatric Rehabilitation Journal, v. 25, n. 3, p. 281–288, 2002.

SARACENO, B. Reabilitação Psicossocial: Uma estratégia para a Passagem do Milênio. In: PITTA, A. (org.). Reabilitação psicossocial no Brasil. São Paulo: Hucitec, p. 13–18. 1996.

SILVERSTEIN, Steven M.; BELLACK, Alan S. A scientific agenda for the concept of recovery as it applies to schizophrenia. Clinical Psychology Review, v. 28, n. 7, p. 1108–1124, Oct. 2008.

SLADE M, Amering M, et al. Uses and abuses of recovery: implementing recovery-oriented practices in mental health systems. World Psychiatry, v. 13, n. 1, p. 12-20, Feb. 2014.

STRATFORD, Anthony C, et al. The growth of peer support: an international charter. J Ment Health, v. 28, n. 6, p. 627-632, Dec. 2019.

VAN MANEN, Max. Researching lived experience: Human science for an action sensitive pedagogy. 2. ed. New York: Routledge. E-book. 2016.

VASCONCELOS, Eduardo Mourão. Empoderamento de usuários e familiares em saúde mental e em pesquisa avaliativa/interventiva: Uma breve comparação entre a tradição anglo-saxônica e a experiência brasileira. Ciência e Saúde Coletiva, v. 18, n. 10, p. 2825–2835, Oct. 2013.

VAUGHN, C. E.; LEFF, J. P. The influence of family and social factors on the course of psychiatric illness. A comparison of schizophrenic and depressed neurotic patients. British Journal of Psychiatry, v.129, n.2, p. 125-137, Aug. 1976.

ZUBIN, Joseph; SPRING, Bonnie. Vulnerability: A new view of schizophrenia. Journal of Abnormal Psychology, v. 86, n. 2, p. 103–126, Apr. 1977.

Downloads

Publicado

2021-07-15

Como Citar

PALMEIRA, L. F.; LEÃO, O.; CARIM NETO, E.; BARRETO, S.; RIBEIRO, R. de C.; KEUSEN, A. L.; CAVALCANTI, M. T. O papel do suporte de pares no processo de Recovery: A experiência do programa Entrelaços. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 13, n. 36, p. 117-142, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/76631. Acesso em: 21 out. 2021.