Matriciamento em saúde mental na Residência Integrada em Saúde de Fortaleza-Ceará

Conteúdo do artigo principal

Srta Amanda
https://orcid.org/0000-0003-2263-9123
Prof. Dr. Carlos Eduardo
https://orcid.org/0000-0002-1719-1080
Prof. Dr. Leo
https://orcid.org/0000-0002-7473-9460

Resumo

A pesquisa analisa a contribuição das ações de matriciamento em saúde mental para a formação dos profissionais da Residência Integrada em Saúde (RIS) no município de Fortaleza, Ceará. Matriciamento ou apoio matricial em saúde mental é uma metodologia de trabalho utilizada no programa de residência como proposta formativa de construção coletiva entre equipes de saúde. O estudo foi exploratório e com abordagem qualitativa, com coleta de dados por meio de entrevistas semiestruturadas com residentes das ênfases Saúde da Família e Saúde Mental de Fortaleza-CE, das turmas IV e V da RIS da Escola de Saúde Pública do Ceará. Os dados foram analisados por meio da análise de conteúdo temático-categorial. A utilização do matriciamento em saúde mental na RIS significou um espaço de promoção de saúde, relevante para a formação profissional, inovador e desafiador no processo de trabalho. Contudo, é necessário maior suporte pedagógico durante a formação e fortalecimento da articulação da instituição formadora com os serviços que representam os cenários de campo, para garantir a regularidade das atividades práticas, de modo a qualificar a formação dos residentes.

Detalhes do artigo

Como Citar
PINHEIRO, Amanda; EDUARDO MENEZES AMARAL, Carlos; BARBOSA NEPOMUCENO, Leo. Matriciamento em saúde mental na Residência Integrada em Saúde de Fortaleza-Ceará. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 15, n. 44, p. 36–57, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/79078. Acesso em: 23 fev. 2024.
Seção
Artigos originais
Biografia do Autor

Srta Amanda, Escola de Saúde Pública do Ceará

Bacharela em Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará - UECE (2015). Especialista em Serviço Social, Política Social e Seguridade Social pela Faculdade Ratio/Potere Assessoria Social (2017). Especialista em Saúde Mental pela Residência Integrada em Saúde (RIS) da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE) - Turma V (2018-2020).

Prof. Dr. Carlos Eduardo, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Docente Adjunto A do Colegiado de Medicina de Paulo Afonso da Universidade Federal do Vale do São Franscisco (CMED/PAV - UNIVASF). Psicólogo. Doutor em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP com estágio sanduíche no Institute of Psychiatry, Psychology and Neurosciences (Kings College - Londres). Mestre em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Especialista em caráter de Residência em Saúde da Família e Comunidade pela Universidade Estadual do Ceará (UECE) em convênio com a prefeitura municipal de Fortaleza-CE. Especialista em Teoria e Prática Junguiana (psicologia analítica) pela Universidade Veiga de Almeida - RJ. Experiência docente no curso de graduação em Psicologia da Unicatólica de Quixadá e graduação em Psicologia da Universidade São Francisco (Campinas/SP), na Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (UNESP-Botucatu/SP) e no curso de Psicologia da Faculdade Católica Rainha do Sertão (FCRS-Quixadá/CE). Experiência de trabalho em Centro de Atenção Psicossocial, Atenção Primária a Saúde, Apoio Institucional, CRAS e clínica psicoterápica. Conhecimentos e experiência em saúde coletiva, saúde mental, pesquisa e avaliação qualitativa, pesquisa epidemiológica, atenção primária, psicologia da saúde, psicologia comunitária e psicoterapia.

Prof. Dr. Leo, Universidade Federal do Ceará – UFC

Professor do Programa de Pós Graduação em Saúde Pública da Universidade Federal do Ceará (PPGSP - UFC). Professor Adjunto do Instituto de Educação Física e Esportes da Universidade Federal do Ceará (IEFES - UFC), ligado ao setor de Estudos Psicológicos e Socioantropológicos da Educação Física e Esportes. Doutorado em Saúde Coletiva (UFC). Mestre em Psicologia (UFC). Especialista com Residência Multiprofissional em Saúde da Família (Escola de Formação em Saúde da Família Visconde de Sabóia - EFSFVS / Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA). Graduação em Psicologia (UFC). Experiência docente na graduação e pós graduação em cursos de Ciências Humanas e da Saúde. Membro do Laboratório de Avaliação e Pesquisa Qualitativa em Saúde (LAPQS), ligado ao programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva da UFC. Membro do Laboratório Cearense de Psicologia do Esporte e do Exercício (LACEPEX) do IEFES-UFC. Membro da Associação Brasileira de Psicologia do Esporte (ABRAPESP) e Grupo de Trabalho de Psicologia do Esporte da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Psicologia (ANPPEP). Áreas de interesse: saúde coletiva; estudos socioculturais do esporte; psicologia (social) do esporte; práticas corporais em saúde.

Referências

AMARAL, Carlos Eduardo Menezes, et al. Apoio matricial em saúde mental na atenção básica: efeitos na compreensão e manejo por parte de agentes comunitários de saúde. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, v. 22, n. 66, p. 801–812, 2018.

AMARANTE, Paulo. Saúde mental e atenção psicossocial. Editora Fiocruz. Rio de Janeiro, 2007.

BRASIL. Constituição, 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal; 1988.

BRASIL. Saúde mental e atenção básica: o vínculo e o diálogo necessários. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de ações programáticas estratégicas, departamento de atenção básica. Coordenação geral de saúde mental coordenação de gestão da atenção básica. Brasília, 2003.

BRASIL. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. Série F. Comunicação e Educação em Saúde. Brasília, 2004.

BRASIL. Residência multiprofissional em saúde: experiências, avanços e desafios. Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação em Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

BRASIL. Portaria nº 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília, 2011 a. [Acesso em 2018 out 31] Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/ prt3088_23_12_2011_rep.html.

BRASIL. Guia prático de matriciamento em saúde mental. Dulce Helena Chiaverini et al.(Org). Ministério da Saúde, Centro de Estudo e Pesquisa em Saúde Coletiva. Brasília, 2011 b.

CAMPOS, Gastão Wagner de Sousa. Equipes de referência e apoio especializado matricial: um ensaio sobre a reorganização do trabalho em saúde. Revista Ciência & Saúde Coletiva. 4(2):393-403. Rio de Janeiro, 1999.

CAMPOS, Gastão Wagner de Sousa; DOMITTI, Ana Carla. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 23(2):399-407, fev, 2007.

CEARÁ. Ceará Pacífico em Ação: Matriz de Acompanhamento ( Livro 3). Ceará Pacífico, movimento pela vida. Fortaleza, 2017. [Acesso em 2020 fev 28.] Disponível em: https://www.ceara.gov.br/wp-content/uploads/2017/12/CP_Livro3_Ceara%CC%81-Paci%CC%81fico-em-Ac%CC%A7a%CC%83o.pdf.

CECCIM, Ricardo Burg. Educação Permanente em Saúde: Desafio Ambicioso e Necessário. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, v.9, n.16, p.161-77. Botocatu, 2005.

CECCIM, Ricardo Burg; FEUERWERKER, Laura Camargo Macruz. O Quadrilátero da Formação para a Área da Saúde: Ensino, Gestão, Atenção e Controle Social. PHYSIS: Rev. Saúde Coletiva, 14(1):41- 65. Rio de Janeiro, 2004.

CECCIM, Ricardo Burg; PINHEIRO, Roseni. Experenciação, formação, conhecimento e cuidado: articulando conceitos, percepções e sensações para efetivar o ensino em integralidade. In: CECCIM, Ricardo Burg; PINHEIRO Roseni; MATTOS, Rubem Araújo (Orgs.). Ensinar Saúde: a integralidade e o SUS nos cursos de graduação na área da saúde. Rio de Janeiro: IMS/UERJ – CEPESQ – ABRASCO, p. 13-33, 2006.

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO CEARÁ. Manual do candidato: informações político-pedagógicas sobre a Residência Integrada em Saúde - RIS-ESP/CE, Turma V (2018 - 2020). Governo do Estado do Ceará. Secretaria de Saúde do Ceará. Programa de Pós-Graduação na Modalidade Residência Multiprofissional e Uniprofissional em Saúde. Ceará, 2017.

OLIVEIRA, Denize Cristina. Análise de conteúdo temático-categorial: uma proposta de Sistematização. Revista de Enfermagem. UERJ, Rio de Janeiro, out/dez; 16(4):569-76, 2008.

QUINDERÉ, Paulo Henrique Dias, et al. Acessibilidade e resolubilidade da assistência em saúde mental: a experiência do apoio matricial. Revista Ciência & Saúde Coletiva. 18(7):2157-2166, 2013.

RAMOS, Alexandre de Souza, et al. Residências em Saúde: encontros multiprofissionais, sentidos multidimensionais. In: BRASIL. Residência Multiprofissional em Saúde: experiências, avanços e desafios. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. [Acesso em 2019 nov 20]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/residencia_multiprofissional.pdf.

SARAIVA, Sônia Augusta Leitão; ZEPEDA, Jorge; LIRIA, Alberto Fernández. Componentes do apoio matricial e cuidados colaborativos em saúde mental: uma revisão narrativa. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, n. 2, p. 553–565, fev,2020.

TREICHEL, Carlos Alberto dos Santos; CAMPOS, Rosana Tereza Onocko; CAMPOS, Gastão Wagner de Sousa. Impasses e desafios para consolidação e efetividade do apoio matricial em saúde mental no Brasil. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, v. 23, 2019.

YIN, R. K. Pesquisa qualitativa do início ao fim. Porto Alegre: Penso, 2016.