Evidências das forças causais críticas dos processos de institucionalização e desinstitucionalização em artefatos da contabilidade gerencial

Paschoal Tadeu Russo, Claudio Parisi, Carlos Alberto Pereira

Resumo


O objetivo da pesquisa foi conhecer as forças causais que são críticas aos processos de institucionalização e desinstitucionalização que agem sobre os artefatos de contabilidade gerencial numa concessionária de serviços públicos brasileira e que atua em território brasileiro. Trata-se de uma pesquisa qualitativa por meio da investigação por entrevista semiestruturada numa empresa de água e esgoto sobre uma prática de planejamento que foi denominada no estudo de processo de gestão integrado (PGI). Foram aplicadas as técnicas de análise de conteúdo e análise do discurso. Foi possível identificar que o PGI se encontrava num processo de desinstitucionalização em função da perda do patrocínio da alta administração por seu uso e do surgimento de um novo artefato que foi posicionado como concorrente do PGI. Foi possível conhecer um conjunto de vinte e quatro elementos correlatos da Teoria Institucional que atuam como Forças Causais do processo de institucionalização e desinstitucionalização do PGI.


Palavras-chave


Contabilidade Gerencial; Teoria Institucional; Forças Causais Críticas

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABRAHAMSON, Eric. Managerial fads and fashions: the diffusion and rejection of innovations. Academy of Management. The Academy of Management Review, Biarcliff Manor, 16(3), 586-634, 1991.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. (3a. ed.) Lisboa: Edições 70, 2009.

BEUREN, Ilse Maria; RENGEL, Silene; RODRIGUES JUNIOR, Moacir Manuel. Relação dos atributos da contabilidade gerencial com os estágios do ciclo de vida organizacional. Revista Innovar v. 25 (57) p. 63 -78, 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2016.

BRIZOLLA, Maria Margarete Bacin; LAVARDA, Carlos Eduardo Facin; FILIPIN, Roselaine; STEINBRENNER, Anelia Franceli. Implantação do Balanced Scorecard (BSC) sob o enfoque da velha economia institucional em uma instituição de ensino superior do estado do RS. In: XV COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GESTÃO UNIVERSITÁRIA – CIGU Desafios da Gestão Universitária no Século XXI Mar del Plata – Argentina. Recuperado em 7/7/16 de: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/136036/101_00138.pdf?sequence=1&isAllowed=y, 2015.

BURNS, John; SCAPENS, Robert W. Conceptualizing management accounting change: an institutional framework. Management Accounting Research, Manchester, 11, 3-25, 2000.

CAREGNATO, Rita Catalina Aquino; MUTTI, Regina. Pesquisa qualitativa: análise de discurso versus análise de conteúdo. Texto Contexto Enfermagem, 15, (4), 679-684, 2006.

CASAGRANDE, Rodrigo Moreira; LAVARDA, Carlos Eduardo Facin. Convergências teóricas entre a governança corporativa e a sustentabilidade sob a perspectiva da legitimidade. Revista de Gestão Social e Ambiental - RGSA, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 88-101, 2015.

CARVALHO, Cristina Amélia; VIEIRA, Marcelo Milano Falcão; SILVA, Sueli Maria Gulart. A trajetória conservadora da Teoria Institucional. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional. Gestão. Org. V.10, n. Especial, p. 460 – 496, 2012.

CERVO, Armando Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia científica (5a. ed.). São Paulo: Prentice Hall, 2002

COVALESKI, Mark. A.; DIRSMITH, Mark W.. An institutional perspective on the rise, social transformation, and Fall of a University Budget Category. Administrative Science Quarterly, Ithaca. 33(4), 562-587, 1988.

DIMAGGIO, Paul J.; POWEL, Walter W. The Iron Cage Revisited: Institutional Isomorphism and Colletive Rationality in Organizational fields. American Sociological Review, Albany, 48(2), 147-160, 1983.

EBERLE, Veronica; COLAUTO, Romualdo Douglas. Pressões institucionais e adoção do Balanced Scorecard: O caso de uma organização do setor elétrico do sul do Brasil. Revista Contabilidade Vista & Revista. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, v. 25, n. 3, p. 95-120, 2014.

FREZATTI, Fabio; AGUIAR, Andson Braga; REZENDE, Amaury José. Respostas estratégicas às pressões institucionais e sucesso no atingir metas no orçamento: um estudo em uma empresa multinacional. Revista Organizações e Sociedades, Salvador, 14(43), 141-158, 2007.

FREZATTI, Fábio; BARROSO, Marcelo Francini Girão; E CARTER, David B.. Discursos Internos se Sustentam sem Suporte da Contabilidade Gerencial? Um Estudo de Caso no Setor de Autopeças. Revista Organizações & Sociedade - Salvador, v. 22 (75), p. 485-504, 2015.

FREZATTI, Fabio ; RELVAS, Tania Regina. Sordi; JUNQUEIRA, Emanuel. BSC e a estrutura de atributos da Contabilidade Gerencial: uma análise no ambiente Brasileiro. Revista de Administração de Empresas, 50(2), 187-198, 2010.

FREZATTI, Fabio ; RELVAS, Tania Regina. Sordi; JUNQUEIRA, Emanuel; NASCIMENTO, Artur Roberto; OYADOMARI, José Carlos. Críticas ao orçamento: Problemas com o artefato ou a não utilização de uma abordagem abrangente de análise? ASAA - Advances in Scientific and Applied Accounting, v.3 (2), p.190-216, 2010.

GODOI, Christiane Kleinubing. Perspectiva de análise do discurso nos estudos organizacionais. In: Godoi, Christiane Kleinubing; BANDEIRA-DE-MELLO, Rodrigo; SILVA, Anielson Barbosa da. Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. 2ª ed. São Paulo. Saraiva, 2010.

GUERREIRO, Marta Silva; RODRIGUES, Lucia Lima.; CRAIG, Russell. Voluntary adoption of international financial reporting standards by large unlisted companies in Portugal – institutional logics and strategic responses. Accounting, Organizations and Society, v.37, p.482–499, 2012.

GUERREIRO, Reinaldo; CORNACHIONE JUNIOR, Edgard Bruno; SOUTES, D Dione Olesczuk. Empresas que se destacam pela qualidade das informações a seus usuários externos também se destacam pela utilização de artefatos modernos de contabilidade gerencial?. Revista Contabilidade & Finanças, v. 22 (55), p. 88-113, 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2016.

GUERREIRO, Reinaldo; FREZATTI, Fabio; LOPES, Alexsandro Broedel; PEREIRA, Carlos Alberto. O entendimento da contabilidade gerencial sob a ótica da teoria institucional. Revista Organizações e Sociedades, 12 (35), 91-106, out-dez, 2005, .

GUERREIRO, Reinaldo; FREZATTI, Fabio; CASADO, Tânia. Em busca de um melhor entendimento da contabilidade gerencial através da integração de conceitos de psicologia, cultura organizacional e teoria institucional. Revista Contabilidade e Finanças – USP, São Paulo, edição comemorativa, 7-21, 2006. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772006000400002>. Acesso em: 05 mai. 2009.

GUERREIRO, Reinaldo; PEREIRA, Carlos Alberto; FREZATTI, Fabio. Aplicação do modelo de Burns e Scapens para avaliação do processo de institucionalização da contabilidade gerencial. Revista Organizações e Sociedades, Salvador, 15(44), 45-62, 2008. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2010.

INTERNATIONAL FEDERATION OF ACCOUNTANTS (IFAC). International management accounting practice statement: management accounting concepts, mar. 1998.

ITTNER, Christopher; LARCKER, David; MEYER, Marshall. Subjectivity and weighting of performance measures: evidence from a balanced scorecard. The Accounting Review, Austin, 3(78), 725-758, 2003.

JONES, Candace; RAEY, Trish. Qualitatively capturing institutional logics. Strategic Organization. p 1-14, 2015. Disponível em: < DOI: 10.1177/1476127015589981>. Acesso em: 25 jun. 2016.

LAWRENCE, Thomas B.; WINN Monika I.; JENNINGS, P. Devereaux. The temporal dynamics of institutionalization. The Academy of Management Review, Biarcliff Manor, 26(4), 624-644, 2001.

MEYER, John W.; ROWAN, Brian. Institutionalized organizations: formal structure as myth and ceremony. American Journal of Sociology, Chicago, 83(2), 340-363, 1977.

MEYER, John W.; SCOTT, Richard; STRANG, David. Centralization, fragmentation, and school district complexity. Administrative Science Quarterly, Ithaca, 32(2), 186 – 201, 1987.

LOUNSBURY, Michael; BOXENBAUM, Eva. Institutional logics in action. Part A. Research in the Sociology of Organizations, Volume 39A, 3–22, 2013.

OYADOMARI, J José Carlos Tiomatsu; MENDONÇA NETO, Octávio Ribeiro de; CARDOSO, Ricardo Lopes; LIMA, Marianda Ponciano de. Fatores que influenciam a adoção de artefatos de controle gerencial nas empresas brasileiras. Um estudo exploratório sob a ótica da Teoria Institucional. Revista de Contabilidade e Organizações, 2(2), 55–70, 2008.

PARISI; Claudio. Capítulo 5 – Planejamento e Controle. In: Contabilidade Gerencial. PARISI, Claudio; MEGLIORINI, Evandir. Editora Atlas, SP, 2011

POPIK, Fabiane; LAVARDA, Carlos Eduardo Facin. Contradições institucionais, práxis e mudança do controle gerencial: estudo de caso em uma cooperativa. In: XXI CONGRESSO BRASILEIRO DE CUSTOS. Foz do Iguaçu, 2015.

REIS, Luciano Gomes. A influência do discurso no processo de mudança da contabilidade gerencial: um estudo de caso sob o enfoque da teoria institucional. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil, 2008.

REZENDE, Amaury José. Um estudo sobre o processo de desinstitucionalização das práticas contábeis de correção monetária em empresas brasileiras. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil, 2009.

RODRIGUES, Sergio Ricardo. Adoção e implementação de Centro de Serviços Compartilhados sob a óptica da Teoria Institucional: O caso de um grupo de serviços de tecnologia da Informação. Dissertação de mestrado do programa de pós-graduação da Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, SP, Brasil, 2016.

ROWAN, Brian. Organizational structure and the institutional environment: the case of public schools. Administrative Science Quarterly, Ithaca, 27(2), 259-279, 1982.

RUSSO, Paschoal Tadeu; PARISI, Claudio; MEGLIORINI, Evandir; ALMEIDA, Claudiane Barbosa. Evidências de elementos de institucionalização do Balanced Scorecard na obra “A estratégia em ação”: um olhar baseado na teoria institucional. Revista de Contabilidade e Finanças da USP. São Paulo, 23(58), 7-18, 2012.

RUSSO, Paschoal Tadeu. O comportamento do uso de práticas de Contabilidade Gerencial sob a ótica institucional. Tese de doutorado em Controladoria e Contabilidade. Universidade de São Paulo, 2015.

SCOTT, W. Richard. Institutions and organizations. (2nd ed.). Thousand Oaks, Calif.: Sage Pub, 2001.

SELZNICK, Philip. Institutionalism "old" and "new". Administrative Science Quarterly, Ithaca, 41(2), 270-277, 1996.

SEO, Myeong-Gu; CREED, W. E. Douglas. Institutional contraditions, praxis, and institutional change: a dialetical perspective. Academy of Management Review. 27(2), 222–247. 2002

SMETS, Michael; JARZABKOWSKI, Paula. Reconstructing institutional complexity in practice: A relational model of institutional work and complexity. Human Relations, 66: 1279-1309, 2013. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1177/0018726712471407>. Acesso em: 03 jul. 2016.

SOEIRO, Tiago de Moura; MIRANDA, Luiz Carlos; ARAÚJO, João Gabriel Nascimento. Contradição institucional e mudança na alta administração: O caso de uma empresa nordestina de tecnologia de informação. Revista Universo Contábil. Blumenau, v. 12, n. 1, p. 162-177, 2016. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2016109>. Acesso em: 03 jul. 2016.

SOUTES, Dione Olesczuk. Uma investigação do uso de artefatos da Contabilidade Gerencial por empresas brasileiras. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo. SP, Brasil, 2006.

SVENNINGSEN, Virginie; BOXENBAUM, Eva; RAVASI, Davide. How individuals cope with institutional complexity in organizations: a case study in the energy transition. 32nd EGOS Colloquium (EGOS 2016), Jul 2016, Naples, Italy. EGOS 2016, 2016.

STEEN, Martijn van der. Human agency in management accounting change: a cognitive approach to institutional theory. Labyrinth Publications. The Netherlands, 2005.

STRANG, David; MEYER, John W. Institutional conditions for diffusion. Theory and Society, Dordrecht, 22(4), 487-511, 1993.

THORNTON, Patricia H.; JONES, Candace; KURY, Kenneth. Institutional logics and institutional change in organizations: Transformation in accounting, architecture, and publishing. Research in the Sociology of Organizations, Volume 23, 125–170, 2005.

TOLBERT, Pamela S.; ZUCKER, Lynne G.. Institutional sources of change in the formal structure of organizations: the diffusion of civil service reform, 1880-1935. Administrative Science Quarterly, Ithaca, 28(1), 22-39, 1983.

TOLBERT, Pamela S.; ZUCKER, Lynne G.. A institucionalização da teoria institucional. In: CLEGG, Stewart R.; HARDY, Cynthia.; NORDY, Walter R.. Handbook de estudos organizacionais, (v. 1, PP. 196-219) (H. F. Martins e R. L. S. Cardoso, Trad.). São Paulo: Atlas, 1999.

WANDERLEY, Claudio de Araújo; SOEIRO, Tiago de Moura. Contradição institucional e o Balanced Scorecard: Um caso de mudança sem sucesso. Revista Universo Contábil, Blumenau, v. 12, n. 1, p. 45-65, 2016. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2016103>. Acesso em: 03 jul. 2016.

WRUBEL, Franciele; TOIGO, Leandro Augusto; LAVARDA, Carlos Eduardo Facin. Mudanças nas Rotinas Contábeis: Contradições Institucionais e Práxis Humanas. In: V Congresso Nacional de Administração e Ciências Contábeis. Rio de Janeiro, 2014.

ZAN, Adriano. Mudanças da contabilidade gerencial de uma organização: estudo de caso com diagnóstico institucional. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil, 2006.

ZUCKER, Lynne G.. The role of institutionalization in cultural persistence. American Sociological Review, Albany, 42(5), 726-743, 1977.

ZUCKER, Lynne G.. Institutional theories of organization. Anual review of sociology, Palo Alto, 13, 443-464, 1987.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8069.2016v13n30p3



Locations of visitors to this page

Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, Brasil. ISSN (impresso)1807-1821 - ISSN (eletrônico) 2175-8069