Práticas gerenciais e inovação: um estudo em empresas do porto digital do Recife (PE)

Autores

  • Isabella Cristina Dantas Professora do Instituto de Educação Superior da Paraíba
  • Juliana Gonçalves de Araújo Professora da Faculdade dos Guararapes
  • Leilson Vanderson Barbosa da Silva Professor da Faculdade Nova Roma
  • Umbelina Cravo Teixeira Lagioia Professora da Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8069.2018v15n35p48

Palavras-chave:

Inovação, Práticas Gerenciais, Contabilidade, Controle

Resumo

Este estudo objetiva verificar as relações entre as práticas de controle gerencial e inovação adotadas pelas empresas vinculadas ao Porto Digital. Foram obtidos 30 questionários válidos na pesquisa, objetivando identificar há relação entre as características da empresa e inovação (hipótese 1), concluindo-se que as empresas que prestam contas aos sócios tendem a não investir em inovação, sugerindo que talvez haja uma preocupação de curto prazo com o resultado da empresa. O estudo também analisou outras duas hipóteses, indicando que algumas práticas gerenciais tradicionais estão associadas a existência de P&D (rejeitando a hipótese 2, ex.: orçamento e avaliação de desempenho), e não evidenciando significância entre práticas contemporâneas e P&D (hipótese 3). A fim de encontrar outras proxies para inovação e constatação da diferença entre práticas gerenciais tradicionais e contemporâneas, foi utilizada a análise fatorial. Verificou-se associação positiva entre uso de técnicas mais avançadas e gestão de pessoas mais permissiva rejeitando a ideia de restrições advindos do controle interferindo na gestão de pessoas. Adicionalmente, verificou-se que a flexibilização do horário dos funcionários não é considerada uma prática que proporciona inovação e também não costuma ser praticada mesmo por aquelas empresas que se dizem mais inovadoras.

Biografia do Autor

Isabella Cristina Dantas, Professora do Instituto de Educação Superior da Paraíba

Mestre em Ciências Contábeis na Universidade Federal de Pernambuco

Juliana Gonçalves de Araújo, Professora da Faculdade dos Guararapes

Doutora em Administração na Universidade Federal de Pernambuco

Leilson Vanderson Barbosa da Silva, Professor da Faculdade Nova Roma

Mestre em Ciências Contábeis na Universidade Federal de Pernambuco

Umbelina Cravo Teixeira Lagioia, Professora da Universidade Federal de Pernambuco

Doutora em Administração na Universidade Federal de Pernambuco

Referências

ABERNETHY, M. A.; STOELWINDER, J. U. Budget use, task uncertainty, system goal orientation and subunit performance: A test of the ‘fit’ hypothesis in not-for-profit hospitals. Accounting, Organizations and Society, 16(2), 105-120, 1991. doi.org/10.1016/0361-3682(91)90008-3

ABBAS, K.; GONÇALVES, M. N.; LIMA, V. H. F.; SANTOS, A. Práticas gerenciais da contabilidade de custos na literatura nacional: quais as ferramentas mais utilizadas? In: Anais do Congresso Brasileiro de Custos - ABC, 2012.

AHRENS, T.; CHAPMAN, C. S. Accounting for flexibility and efficiency: A field study of management control systems in a restaurant chain. Contemporary accounting research, 21(2), 271-301, 2004. doi: 10.1506/VJR6-RP75-7GUX-XH0X

ANJOS, L. C. M.; MIRANDA, L. C.; SILVA, D. J. C. Utilização de Informações Contábeis em Cooperativas: São os Contadores Necessários? Revista Ambiente Contábil, v. 3, n. 1, p. 89-105, 2011.

ALLEN, M. R.; ADOMDZA, G. K.; MEYER, M. H.. Managing for innovation: Managerial control and employee level outcomes. Journal of Business Research, 68(2), 371-379, 2015. doi.org/10.1016/j.jbusres.2014.06.021

BARBOSA, A. C. Q.; FERRAZ, D. M.; LOPES, D. P. T.. Competências nas organizações: o discurso e a prática na gestão de pessoas. Encontro Anual Da Associação Nacional Dos Programas De Pós-Graduação Em Administração, 26, 2002.

BERNARDI, L. A. Política e formação de preços: uma abordagem competitiva, sistêmica e integrada. (2. ed.) São Paulo: Atlas, 1998.

BEUREN, I.M.; ORO, I.M. Relação entre estratégia de Diferenciação e Inovação, e Sistemas de Controle Gerencial. RAC, Rio de Janeiro, v.18, n.3, 2014. doi: dx.doi.org/10.1590/1982-7849rac20141394

BISBE, J.; OTLEY, D. The effects of the interactive use of management control systems on product innovation. Accounting, organizations and society, 29(8), 709-737, 2004. doi.org/10.1016/j.aos.2003.10.010

BOEHE, D. M.; ZAWISLAK, P. A. Influências ambientais e inovação de produtos: estudo de casos em subsidiárias de multinacionais no Brasil. Revista de Administração Contemporânea, 11(1), 97-117, 2007. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552007000100006

BUSCO, C.; CAGLIO, A.; SCAPENS, R. W. Management and accounting innovations: reflecting on what they are and why they are adopted. Journal of Management & Governance, 19(3), 495-524, 2015. doi: 10.1007/s10997-014-9288-7

CARVILLE, W, T. Práticas Inovadoras Adotadas Nas Demonstrações Contábeis: Um Estudo a Partir do Prêmio Transparência FIPECAFI/ANEFAC. Dissertação de Mestrado. Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2011.

CHENHALL, R. H.; LANGFIELD-SMITH, K. The relationship between strategic priorities, management techniques and management accounting: an empirical investigation using a systems approach. Accounting, Organizations and Society, 23(3), 243-264, 1998. doi.org/10.1016/S0361-3682(97)00024-X

CHRISTENSEN, C.; RAYNOR, M. The innovator's solution: Creating and sustaining successful growth. Harvard Business Review Press, 2008.

CHRISTENSEN, C. M.; RAYNOR, M. E. O crescimento pela inovação: como crescer de forma sustentada e reinventar o sucesso. Elsevier, 2003.

COOPER, R.; KAPLAN, R. S. Activity-based systems: Measuring the costs of resource usage. Accounting Horizons, 6(3), 1, 1992.

DAMANPOUR, F.; GOPALAKRISHNAN, S. The dynamics of the adoption of product and process innovations in organizations. Journal of Management studies, 38(1), 45-65, 2001. doi: 10.1111/1467-6486.00227

DECI, E. L.; CONNELL, J. P.; RYAN, R. M. Self-determination in a work organization. Journal of applied psychology, 74(4), 580, 1989. doi: 0021-9010/89/$00.75

DOUGHERTY, D.; HARDY, C. Sustained product innovation in large, mature organizations: Overcoming innovation-to-organization problems. Academy of Management Journal, 39(5), 1120-1153, 1996. doi: 10.2307/25699

DRUCKER, P. F. Innovation and Entrepreneurship: practices and principles. New York: Harper & Row. Retrieved April, 2013, (07), 1985. doi.org/10.1080/07377366.1986.10401060

DUTRA, J. S.; HIPÓLITO, J. A. M.; SILVA, C. M. Gestão de pessoas por competências: o caso de uma empresa do setor de telecomunicações. Revista de Administração Contemporânea, 4(1), 161-176, 2000. doi: dx.doi.org/10.1590/S1415-65552000000100009

EMSLEY, D. Restructuring the management accounting function: A note on the effect of role involvement on innovativeness. Management Accounting Research, 16(2), 157-177, 2005. doi.org/10.1016/j.mar.2005.02.002

FERNANDES, A. C.; CÔRTES, M. R.; PINHO, M. Caracterização das pequenas e médias empresas de base tecnológica em São Paulo: uma análise preliminar. Economia e Sociedade, Campinas, 13(1), 22, 2004. doi: 10.20396

FERREIRA, A.; OTLEY, D. Exploring inter and intra-relationships between the design and use of management control system. In Social Science Research Network http://ssrn.com/abstract (Vol. 896228), 2006.

FISHER, T. J. Business productivity measurement using standard cost accounting information. International Journal of Operations & Production Management, 10(8), p. 61-69, 1990.

GAGNÉ, M.; DECI, E. L. Self-determination theory and work motivation. Journal of Organizational behavior, 26(4), 331-362, 2005. doi: 10.1002/job.322

GERWIN, D.; KOLODNY, H. Management of advanced manufacturing technology: Strategy, organization, and innovation. Wiley-Interscience, 1992.

GILCHRIST, S.; HIMMELBERG, C. P. Evidence on the role of cash flow for investment. Journal of monetary Economics, 36(3), 541-572, 1995. doi.org/10.1016/0304-3932(95)01223-0

GOVINDARAJAN, V. Strategic cost management: The new tool for competitive advantage. Simon and Schuster, 1993.

HENDERSON, R. M.; CLARK, K. B. Architectural innovation: The reconfiguration of existing product technologies and the failure of established firms. Administrative science quarterly, 9-30, 1990.

HENRI, J. F., Management control systems and strategy: a resource-based perspective. Accounting, Organizations and Society, n. 31, p. 529-558, 2006. doi.org/10.1016/j.aos.2005.07.001

ITTNER, C. D.; LANEN, W. N.; LARCKER, D. F. The Association Between Activity Based Costing and Manufacturing Performance. Journal of Accounting Research, 40(3), 711-726, 2002. doi: 10.1111/1475-679X.00068

JOHNSON, H. T.; & KAPLAN, R. S. Relevance lost: the rise and fall of management accounting. Harvard Business Press, 1991. doi.org/10.2307/3115407

KAPLAN, R.S. Accounting lag: the obsolescence of cost accounting systems. Calif. Manage. Rev. 28 (2), 174–199, 1986. doi: 10.2307/41165195

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. A estratégia em ação: Balanced Scorecard. (5.ed.) Rio de Janeiro: Campus, 1997.

KATZ, M. L.; SHAPIRO, C. R and D rivalry with licensing or imitation. The American Economic Review, 402-420, 1987.

LA ROVERE, R. L. Perspectivas das micro, pequenas e médias empresas no Brasil. Revista de Economia Contemporânea, 34, 137-154, 2001.

LEMOS, C. Inovação na área do conhecimento. In: L.H. M. Martins.; A. Sarita (Org). Informação e globalização na era do conhecimento. (p.122-144). Rio de Janeiro: Campus, 1999.

MACHADO, D. G.; DE SOUZA, M. A. Análise das relações entre a gestão de custos e a gestão do preço de venda: um estudo das práticas adotadas por empresas industriais conserveiras estabelecidas no RS. Revista Universo Contábil, 2(1), 42-60, 2006.

MALAGUEÑO, R.; BISBE, J. The role of management accounting and control systems as antecedent of organizational creativity and innovation competencies, 2010. doi.org/10.2139/ssrn.1720989

MEGLIORINI, E. Custos: análise e gestão. (3. ed.) São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2012.

MILLER, C. C.; CARDINAL, L. B. Strategic planning and firm performance: A synthesis of more than two decades of research. Academy of Management Journal, 37(6), 1649-1665, 1994. doi: 10.2307/256804

MUNDY, J. Creating dynamic tensions through a balanced use of management control systems. Accounting, Organizations and society, 35(5), 499-523, 2009. doi.org/10.1016/j.aos.2009.10.005

NEELY, A.; HII, J. Innovation and business performance: a literature review. The Judge Institute of Management Studies, University of Cambridge, 0-65, 1998.

NEELY, A.; HII, J. The innovative capacity of firms. Report commissioned by the Government Office for the East of England, Center for Business Performance, Judge Institute of Management Studies, University of Cambridge, UK, 1999.

NISIYAMA, E. K.; OYADOMARI, J. C. T. Sistemas de Controle Gerencial e o Processo de Inovação. 634. RAI: revista de administração e inovação, 9(1), 106-125, 2012. doi: 10.5773/rai.v1i1

NUNES, Leonor da C. Ferreira; SERRASQUEIRO, Zélia Mª. A informação contabilística nas decisões financeiras das pequenas empresas. Revista Contabilidade & Finanças, v. 15, n. 36, p. 87-96, 2004. doi.org/10.1590/S1519-70772004000300005

OSLO, M. Diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, 2005.

OTTOBONI, C.; PAMPLONA, E. DE O. Proposta de pesquisa para avaliar a necessidade de se medir o desempenho financeiro das micro e pequenas empresas. Anais do XXI ENEGEP. Salvador, Bahia, Brasil, 2001.

OUCHI, W. G. The relationship between organizational structure and organizational control. Administrative science quarterly, 95-113, 1977. doi: 10.2307/2391748

OYADOMARI, J. C. T.; CARDOSO, R. L.; SILVA, B. O. T. DA; PEREZ, G. Sistemas de controle gerencial: estudo de caso comparativo em empresas inovadoras no Brasil. Revista Universo Contábil, 6(4), 21-34. doi: 10.4270/ruc.2010429, 2010.

OYADOMARI, J. C. T.; DE AGUIAR, A. B.; YEN-TSANG, C.; DULTRA-DE-LIMA, R. G. Inovação de práticas de controle gerencial e fontes de informação. Revista de Contabilidade e Organizações, 7(19), 2013. doi.org/10.11606/rco.v7i19.55424

PENNINGS, J. M. Innovations as precursors of organizational performance. In: J. Wiley & Sons. Information technology and organizational transformation. (p. 153-178). New York, NY, USA, 1998.

PETTIGREW, A. M.; MASSINI, S. Innovative forms of organizing: trends in Europe, Japan and the USA in the 1990s. Sage Publications, 2003.

PIVETTA, G. A utilização do fluxo de caixa nas empresas: um modelo para a pequena empresa. Revista eletrônica de contabilidade, 1(2), 14, 2004.

doi.org/10.5902/198109466229

QUINELLO, R.; NICOLETTI, J.R. Inovação Operacional. Rio de Janeiro: Brasport Livros e Multimídia, 2009.

SCAPENS, R.W. Management Accounting: A Review of Contemporary Developments, Macmillan Education Ltd, London, 1991.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico. Fundo de Cultura, 1961.

SHIELDS, M. D. Research in management accounting by North Americans in the 1990s. Journal of Management Accounting Research, 9, 3, 1997.

SIMONS, R. Levers of Control. Boston: Harvard Business School Press, 1995.

SOUZA, M. A. D.; LISBOA, L. P.; ROCHA, W. Práticas de contabilidade gerencial adotadas por subsidiárias brasileiras de empresas multinacionais. Revista Contabilidade & Finanças, 14(32), 40-57, 2003. doi.org/10.1590/S1519-70772003000200003

SULAIMAN, M. B.; NAZLI NIK AHMAD, N.; ALWI, N. Management accounting practices in selected Asian countries: A review of the literature. Managerial Auditing Journal, 19(4), 493-508, 2004. doi.org/10.1108/02686900410530501

TERENCE, A. C. F. Planejamento estratégico como ferramenta de competitividade na pequena empresa. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil, 2002.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K. Managing innovation - integrating technological, market and organizational change. (3. ed.). John Wiley & Sons, Ltd, 2005.

TORNATZKY, L. G. ET AL. The process of technological innovation: Reviewing the literature. 1983.

UYAR, A. Cost and management accounting practices: A survey of manufacturing companies. Eurasian Journal of Business and Economics, 3(6), 113-125, 2010.

WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. v. 1. Brasília: UnB, 1999.

WERNKE, R.; LEMBECK, M. Valor econômico adicionado (EVA). Revista Brasileira de Contabilidade, Brasília, ano XXIX, (121), 84-90, 2000.

WERNKE, R. A Contabilidade e as inovações tecnológicas recentes. Revista brasileira de contabilidade, 124, 19-30, 2000.

WIDENER, S. K. An empirical analysis of the levers of control framework. Accounting, Organizations and Society, 32(7/8), 757-788. doi: 10.1016/j.aos.2007.01.001, 2007.

ZANELLA, A. V.; DA ROS, S. Z.; REIS, A. D.; FRANÇA, K. B. Concepções de criatividade: movimentos em um contexto de escolarização formal. Psicologia em Estudo, 8(1), 143-150, 2003. doi.org/10.1590/S1413-73722003000100017.

Downloads

Publicado

2018-06-30

Como Citar

Dantas, I. C., Araújo, J. G. de, Silva, L. V. B. da, & Lagioia, U. C. T. (2018). Práticas gerenciais e inovação: um estudo em empresas do porto digital do Recife (PE). Revista Contemporânea De Contabilidade, 15(35), 48-68. https://doi.org/10.5007/2175-8069.2018v15n35p48

Edição

Seção

Artigos