A teoria da autodeterminação aplicada na análise da motivação e do desempenho acadêmico discente do curso de ciências contábeis de uma instituição pública brasileira

Marina Salgado Borges, Gilberto José Miranda, Sheizi Calheira Freitas

Resumo


O propósito deste estudo foi analisar as relações entre desempenho acadêmico e motivação dos estudantes do Curso de Ciências Contábeis de uma universidade pública brasileira, com base na Teoria da Autodeterminação. Em termos metodológicos, para alcançar esse objetivo, foram aplicados questionários estruturados nas salas de aula, contendo a versão brasileira da Escala de Motivação Acadêmica (EMA), para uma amostra de 316 estudantes matriculados no segundo ao décimo períodos do referido curso, a qual equivale a 37,2% do total de discentes. Para análise dos dados, foram utilizadas: estatística descritiva, análise fatorial exploratória (AFE) e análise de regressão linear múltipla com mínimos quadrados ordinários (MQO). As análises de regressão indicaram relações significativas entre motivação e desempenho acadêmico. Os fatores relativos à motivação intrínseca e à motivação extrínseca por regulação identificada estão positivamente correlacionados com o coeficiente de rendimento acadêmico (CRA) dos discentes. Já o fator relativo à motivação por regulação extrínseca introjetada está negativamente correlacionado com o desempenho acadêmico. Com base na amostra analisada, os resultados evidenciaram que a relação existente entre motivação e o CRA do aluno depende do tipo de motivação presente em cada universitário.

 


Palavras-chave


Autodeterminação; Motivação; Desempenho Acadêmico; Discentes; Ciências Contábeis

Referências


ARICA, J.;MONTEIRO G. T. R.; HORA H. R. M. Confiabilidade em Questionários para Qualidade: Um Estudo com o Coeficiente Alfa de Cronbach. Produto e Produção, [s. l.], v.11, n. 2, p. 85 - 103, jun. 2010.

BEUREN, I. M (Org.).Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

BORUCHOVITCH, E.; BZUNECK, J. A. A motivação do aluno: contribuições da psicologia contemporânea. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

BZUNECK, J. A. As crenças de auto-eficácia dos professores.Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

DECI, E. L. e RYAN, R. M. Intrinsic motivation and self-determination in human behavior. New York: Plenum, 1985.

FÁVERO, L. P. et al. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. 2. ed. São Paulo: Elsevier, 2009.

FERREIRA, M. Determinantes do desempenho acadêmico no ensino superior. Revista Internacional d’Humanitats, São Paulo/Barcelona, [s.p.], jan./abr. 2009.

GIL, A. C. Didática do ensino superior. 3ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 2ed. São Paulo: Atlas, 1989.

GUIMARÃES, S; BZUNECK, J. A Propriedades psicométricas de um instrumento para avaliação da motivação de universitários. Ciências e Cognição, Ilha do Fundão,v.13, n. 1, p.101-113, março de 2008.

GUIMARÃES, S; BZUNECK, A. J; SANCHES, S. F.Psicologia educacional nos cursos de licenciatura: a motivação dos estudantes. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas,v.6,p. 11-19, 2002.

HAIR JR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. 5 ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

LARSON, R. Estatística Aplicada. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

LEAL, D. T. B.; CORNACHIONE J. E. A Aula Expositiva no Ensino da Contabilidade Contab. Vista e Ver, v. 17, n. 3, p. 91-113, jul./ set. 2006.

LEAL, E. A.; MIRANDA G. J; ARAUJO, T. S.; BORGES, L. F. M. Estereótipos na Profissão Contábil: a opinião de estudantes e do público externo no Triângulo Mineiro. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 17, n. 1, p. 134-153, 2014.

LEAL, E. A.; MIRANDA G. J.;CARMO C. R. S.Teoria da Autodeterminação: uma Análise da Motivação dos Estudantes do Curso de Ciências Contábeis, Contabilidade & Finanças. São Paulo, v. 24, n. 62, p. 162-173, maio/jun./jul./ago. 2013.

LENS, W; MATOS, L; VANSTEENKISTE, M. Professores como fontes de motivação dos alunos: o quê e o porquê da aprendizagem do aluno. Educação, Porto Alegre, v. 31, n. 1, p.17-20, jan./abr. 2008.

LOPES, L. et al. Aspectos da motivação intrínseca e extrínseca: uma análise com discentes de ciências contábeis da Bahia na perspectiva da teoria da autodeterminação. Gestão de Finanças e Contabilidades, Salvador, v. 5, n.1, p. 21-39, 2015.

MARTINS, G. A. Estatística Geral e Aplicada. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MORAES, C. R; VARELA, S. Motivação do aluno durante o processo de ensino aprendizagem. Revista Eletrônica de Educação, Londrina-PR,v. 1, n. 01, [s.p.], ago./ dez. 2007.

NOGUEIRA, D. R. Desempenho acadêmico x estilos de aprendizagem segundo Honey Alonso: uma análise com alunos do curso de ciências contábeis. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, v. 12, n. 137, p. 80-89, out. 2012.

NOGUEIRA, D. R. et al. Fatores que impactam o desempenho acadêmico: uma análise com discentes do curso de ciências contábeis no ensino presencial. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTABILIDADE, 19, 2013, Belém. Anais... Belém: CBC, 2013.

OLIVEIRA, P. A. et al. Motivação sob a perspectiva da Teoria da Autodeterminação: um estudo da motivação de alunos do curso de Ciências Contábeis da Universidade Estadual de Montes Claros. In: ANAIS DO CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 2010, São Paulo. Anais... São Paulo: Universidade de São Paulo.

PEDHAZUR, E. J. Multiple regression in behavioral research: Explanation and prediction. 3a ed. Stamford: Thomson Learning, 1997.

PENNA, A. G. Aprendizagem e motivação. Rio de Janeiro: Zahar, 1980.

RIBAS, F. C.Variações motivacionais no ensino e aprendizagem de inglês em contexto de escola pública. São José do Rio Preto, [s.n.], 2008.

SILVA, A. C. R. Metodologia da pesquisa aplicada à contabilidade. 2ed. São Paulo: Atlas, 2008.

SOBRAL, D. T. Motivação do aprendiz de medicina: uso da escala de motivação acadêmica. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 19, n.1, p. 25-31, janeiro/abril de2003.

SOUZA, I. C. de. A perspectiva de tempo futuro e a motivação de estudantes de pedagogia. 2008. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação)-Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2008.

VIANA, N. Variabilidade da motivação no processo de aprender língua estrangeira na de aula. 1990. 158f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada)- Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1990.

WECHSLER, S. M.Manual estilo de pensar e criar. São Paulo: LAMP/PUC, 2006.

WITTER, P. G; LOMÔNACO, J.F. B. Psicologia da Aprendizagem. 9 ed.São Paulo:EPU, 1984.




DOI: http://dx.doi.org/10.5007/%25x



Locations of visitors to this page

R. Contemp. Contab., Florianópolis, Brasil. ISSN (impresso)1807-1821 - ISSN (eletrônico) 2175-8069