O ensino dos CPCs nos cursos de ciências contábeis em instituições de ensino superior do Brasil

Diego Saldo Alves, Clóvis Antônio Kronbauer, Ernani Ott, João Luis Peruchena Thomaz

Resumo


Este estudo tem como objetivo analisar se os conteúdos de contabilidade constantes nos currículos dos cursos de ciências contábeis em instituições de ensino superior (IES) no Brasil estão alinhados com os Pronunciamentos Técnicos (CPC), que têm origem nas normas internacionais de contabilidade. A amostra é formada por 105 instituições de ensino superior do Brasil que oferecem o curso de ciências contábeis na modalidade presencial e que disponibilizaram suas ementas e/ou conteúdos programáticos. As análises dos dados basearam-se em tabelas, gráficos e quadros, embasados em técnicas de estatística descritiva e também avaliação de diferenças de médias de aderência por região, organização acadêmica e categoria acadêmica. Conclui-se, neste estudo, que as IES no Brasil pertencentes à amostra possuem baixa aderência em relação aos CPCs, o ensino da contabilidade harmonizado aos padrões internacionais necessita de melhorias que contemplem um número maior de CPCs nos conteúdos programáticos das IES.


Palavras-chave


Ensino; Contabilidade; Normas Internacionais; CPC

Texto completo:

PDF/A

Referências


AGGESTAM, C. Towards a global accounting qualification? A report from the 16th session of the ISAR group of the UN palais de nations. The European Accounting Review, Geneva, v. 8, n. 4, p. 805-813, 1999. DOI: 10.1080/096381899335835

BELL, S. Do we really need a new “constructivist institutionalism” to explain institutional change? British Journal of Political Science. v.41, n.4, p.883-906, 2011. DOI: 10.1017/S0007123411000147

CAMPOS, L. C., LEMES, S. Análise comparativa entre o currículo mundial proposto pela ONU/UNCTAD/ISAR e as Universidades Federais da Região Sudeste. In: ENCONTRO DE ENSINO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE, 3., João Pessoa/PB, 2011. Anais... Disponível em: Acesso em 10 Set. 2013.

CARVALHO, C.A; VIEIRA, M.M.F; SILVA, S.M.G. A trajetória conservadora da teoria institucional. Revista de Administração Pública – RAP, [S.l], v.39, n.4, 2005.

COMITE DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (CPC). [S.l.], 2013. Disponível em: Acesso em: 09 set.2013.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE (CFC). Proposta nacional de conteúdo para o curso de Graduação em Ciências Contábeis – 2º edição revista e atualizada, 2009. [S.l.], Disponível em: . Acesso em: 08 jan. 2014.

CUNHA, E.V R. O Currículo e o seu planejamento: Concepções e práticas. Revista Espaço do Currículo, [S.l], v.3, n.2, p.578-590, 2011. DOI: 10.15687/rec

CZESNAT, A. O., CUNHA, J. V., DOMINGUES, M.J. C. S. Análise comparativa entre os currículos dos cursos de Ciências Contábeis das universidades do estado de Santa Catarina listadas pelo MEC e o currículo mundial proposto pela ONU/UNCTAD/ISAR. Gestão & Regionalidade, [S.l.], v. 25, n. 75, p. 22, 2009. DOI: 10.13037/qr.vol25n75.186

CUNHA, P. R. et al. Reflexos da Lei nº 11.638/07 nos indicadores contábeis das empresas têxtis listadas na BM&FBovespa. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, Brasília, v. 7, n. 2, art. 1, p. 112-130, 2013. DOI: 10.17524/repec.v7i2.153

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W.W. The iron cage revisited institutional isomorphism and collective rationality in organizational fields. In: The New Institutionalism in Organizational Analysis. Chicago, v.48, n.2, p.147-160, 1983.

FROSI, M. Um estudo sobre o alinhamento dos currículos dos cursos de Ciências Contábeis de IES da região sul do Brasil com as propostas de currículo da ONU/UNCTAD/ISAr e do Conselho Federal de Contabilidade. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) -, Programa de Pós Graduação em Ciências Contábeis, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS, São Leopoldo, 2013.

GOODLAD, J.I. Curriculum Inquirity. The study of curriculum practice. McGraw-Hill Inc, US, 1979.

HILTON, S.R.; JOHNSTONE, N. The IFRS transition and accounting education: A canadian perspective post-transition. Issues in Accounting Education. [S.l], v.28, n.2, p.253-261, 2013. DOI: 10.2308/iace-50366

HODGSON, G.M. What Are Institutions? Journal of Economic Issue, v. xl, n.1, 2006.

LISZBINSKI, B.B; KRONBAUER, C.A; MACAGNAN, C.B; PATIAS, T.Z. Conformidade no reconhecimento de ativos intangíveis: um estudo na perspectiva da teoria institucional. Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, v.11, nº.24, p.85-106, 2014. DOI: 10.5007/2175-8069.2014v11n24p85

MAGALHÃES, F. A. C., ANDRADE, J. X. A educação contábil no estado do Piauí diante da proposta da convergência internacional do currículo de contabilidade concebida pela ONU/UNCTAD/ISAR. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 2006. Anais..., 2006. Disponível em: . Acesso em 06 set. 2013.

MALTA, S. C. L. Uma abordagem sobre currículo e teorias afins visando à compreensão e mudança. Revista Espaço do Currículo, [S.l], v.6, n.2, p.340-354, 2013. DOI: 10.15687/rec

MORAES, M. C. Complexidade e currículo: por uma nova relação. Polis, Revista de la Universidad Bolivariana. Santiago, v.9, n.25, p.289-311, 2010.

NIYAMA, J. K. et al. Conhecimento de contabilidade internacional nos cursos de graduação em Ciências Contábeis: estudo da oferta nas instituições de ensino superior das capitais brasileiras. Revista de Contabilidade e Organizações, [S.l.], v. l.2(2), p.100, 2008.

NORTH, D. Instituciones, cambio institucional y desempeño edonómico. México: Foundo de Cultura Económica, 1995.

PELEIAS, I. R. et al. Evolução do ensino da contabilidade no Brasil: uma análise histórica. Revista Contabilidade & Finanças, [S.l.], v.18, p.19-32, 2007.

PIRES, C. B. A formação e a demanda do mercado de trabalho do Contador na região metropolitana de Porto Alegre – RS. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo, 2008.

RICCIO, E. L., SAKATA, M. C. G. Evidências da globalização na educação contábil: estudo das grades curriculares dos cursos de graduação em universidades brasileiras e portuguesas. Revista Contabilidade & Finanças – USP. São Paulo, n. 35, p. 35-44, 2004.

RODRIGUES, A. T. L. et al. Proposta nacional de conteúdo para o curso de graduação em Ciências Contábeis. 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2013.

SACRISTÁN, J.G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Tradução de Ernani F. da F. Rosa. 3ed. Porto Alegre: ArMed, 2000.

SCOTT, W. Ricard. The adolescence of institutional theory. Administrative Science Quartely, v.32, n.4, p.493-511, 1987.

SECKLER, D. Thorstein Veblen y el institucionalismo: um estúdio de la filosofia social de la economia. México: Fondo de Cultura Económica, 1977.

STEVENSON, W. J. Estatística Aplicada a Administração. São Paulo: Harbra, 1981.

VEBLEN, Thorstein. A teoria da classe ociosa. São Paulo: Pioneira Editora, 1965.

VYSOTSKAYA, A., PROKOFIEVA’, M. The difficulties of teaching IFRS in Russia. Issues in Accounting Education, [S.l.], v. 28 n. 2, p. 309-319, 2013.

YAMAMOTO, M.P; ROMEU, S.A. Currículo: teoria e prática. In: D’ANTOLA A. (org). Supervisão e Currículo. São Paulo: Pioneira, 1983.

ZUCCOLOTTO, R; SILVA, G.M; EMMERNDOERFER, M.L. Limitações e possibilidade de compreensão da utilização das práticas de contabilidade gerencial por perspectivas da teoria institucional. BASE, v.7, n.3, p.233-246, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-8069.2017v14n32p48



Locations of visitors to this page

R. Contemp. Contab., Florianópolis, Brasil. ISSN (impresso)1807-1821 - ISSN (eletrônico) 2175-8069