PIB brasileiro como carteira de mercado eficiente no modelo CAPM

Autores

Palavras-chave:

Carteira de mercado eficiente, PIB, CAPM

Resumo

No mercado financeiro, nota-se a existência de períodos em que há divergência entre os dados macroeconômicos (PIB, desemprego) e os dados do mercado acionário, principalmente os índices de ações. Questionando se o Ibovespa, retratam fidedignamente o cenário econômico nacional. O objetivo desta pesquisa foi testar a eficiência no sentido ‘média-variância’, de carteiras inspiradas na composição do PIB, como proxies para a carteira de mercado no modelo CAPM. Comparando-as com a eficiência do índice Bovespa para o mesmo objetivo. Para isto foi utilizada a análise de regressão multivariada em uma amostra de 148 empresas, num período de 10 anos, 2009 a 2018. Os resultados mostraram que nenhuma das carteiras apontadas, tanto quanto o índice Bovespa, são eficientes como representante do mercado brasileiro segundo o CAPM. No entanto, apesar de não cumprir as condições de eficiência estipuladas, o Ibovespa se apresentou como a medida mais indicada para a carteira de mercado.

Biografia do Autor

Victor Fontes Teixeira, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestre em Ciências Contábeis e Finanças (UFES)

Alfredo Sarlo Neto, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutor em Controladoria e Contabilidade (USP)

Professor Adjunto do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PPGCon) e da Graduação em Ciências Contábeis (UFES)

Donizete Reina, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutorando em Ciências Contábeis (UFU)

Professor do Departamento de Ciências Contábeis (UFES)

Referências

Araújo, E., Fajardo, J., & Di Tavani, L. C. (2006). CAPM usando uma carteira sintética do PIB Brasileiro. Estudos Econômicos, São Paulo, SP, Brasil, 36(3), 465–505.

https://doi.org/10.1590/S0101-41612006000300003

Asprem, M. (1989). Stock prices, asset portfolios and macroeconomic variables in ten European countries. Journal of Banking & Finance, 13, 589-612. https://doi.org/10.1016/0378-4266(89)90032-0

Barro, R. J. (1990). The stock market and investment. The Review of Financial Studies, 3(1), 115-131. https://doi.org/10.1093/rfs/3.1.115

Bernardelli, L. V., & Bernardelli, A. G. (2016). Análise sobre a Relação do Mercado Acionário com as Variáveis Macroeconômicas no Period de 2004 a 2014. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 4(1), 4-17, https://doi.org/10.18405/recfin20160101

Bernardelli, L. V., & De Castro, G. H. L. (2020). Mercado acionário e variáveis macroeconômicas: evidências para o Brasil. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 19, 2892. https://doi.org/10.16930/2237-766220202892

Black, F. (1972). Capital Market Equilibrium with Restricted Borrowing. The Journal of Business, 45(3), 444–455. https://doi.org/10.1086/295472

Campbell, J. Y., Lo, A., & MacKinlay, C. (1997). The Econometrics of Financial Markets Princeton University Press Princeton. New Jersey: MacKinlay, 2. https://doi.org/10.1515/9781400830213

Carvalho, P. L., & Sekunda, A. (2020). Influência de variáveis macroeconômicas sobre o desempenho do mercado de capitais brasileiro. Anais do XX USP Internacional Conference in Accounting, São Paulo, SP, Brasil.

Dufour, J.M., & Tessier, D. (2006). Short-run and long-run causality between monetary policy variables and stock prices (No. 2006-39). Bank of Canada.

Fama, E. F. (1981). Stock returns, real activity, inflation, and money. The American Economic Review, 71(4), 545-565.

Fama, E. F. (1990). Stock returns, expected returns, and real activity. The Journal of Finance, 45(4), 1089-1108. https://doi.org/10.1111/j.1540-6261.1990.tb02428.x

Fama, E. F., & French, K. R. (2007). O modelo de precificação de ativos de capital: teoria e evidências. Revista de Administração de Empresas, 47(2), 103–118. https://doi.org/10.1590/S0034-75902007000200015

Gan, C., Lee, M., Yong, H. H. A., & Zhang, J. (2006). Macroeconomic variables and stock market interactions: New Zealand evidence. Investment Management and Financial Innovations, 3(4), 89-101.

Gibbons, M. R., Ross, S. A., & Shanken, J. (1989). A Test of the Efficiency of a Given Portfolio. Econometrica, 57(5), 1121–1152. https://doi.org/10.2307/1913625

Grôppo, G. S. (2004). Causalidade das variáveis macroeconômicas sobre o Ibovespa. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil. https://doi.org/ https://doi.org/10.11606/D.11.2004.tde-06012005-165535

Guermat, C. (2014). Yes, the CAPM is testable. Journal of Banking & Finance, 46, 31-42. https://doi.org/10.1016/j.jbankfin.2014.05.001

Hagler, C. E. M., & Brito, R. D. De O. (2007). Sobre a eficiência dos índices de ações brasileiros. Revista de Administração, 42(1), 74–85. https://doi.org/10.1590/S1415-65552001000300011

Harry M. (1952). Portfolio Selection Harry Markowitz. The Journal of Finance, 7(1), 77–91. https://doi.org/10.1111/j.1540-6261.1952.tb01525

Hou, Y. (2002). Testing the CAPM by a synthetic return on GDP as the market return. Economics Department, Yale University, Connecticut, Estados Unidos da América, 3-53.

Jobson, J. D., Korkie, Bob. (1982). Potential performance and tests of portfolio efficiency. Journal of Financial Economics, 10(4), 433-466. https://doi.org/10.1016/0304-405X(82)90019-8

Kan, R., Robotti, C., Shanken, J. (2013). Pricing model performance and the two‐pass cross‐sectional regression methodology. The Journal of Finance, 68(6), 2617-2649. https://doi.org/10.1111/jofi.12035

Kandel, S., & Stambaugh, R. F. (1995). Portfolio inefficiency and the cross‐section of expected returns. The Journal of Finance, 50(1), 157-184, https://doi.org/10.1111/j.1540-6261.1995.tb05170.x

Kwon, C. S., & Shin, T. S. (1999). Cointegration and causality between macroeconomic variables and stock market returns. Global Finance Journal, 10(1), 71-81. https://doi.org/10.1016/S1044-0283(99)00006-X

Lintner, J. (1965). Security Prices, Risk, and Maximal Gains From Diversification. The Journal of Finance, 20(4), 587–615. https://doi.org/10.1111/j.1540-6261.1965.tb02930

Machado, M. R. R., Gartner, I. R., De Souza Machado, L. (2017). Relação entre Ibovespa e Variáveis Macroeconômicas: Evidências a Partir de um Modelo Markov-Switching. Revista Brasileira de Finanças, 15(3), 435-468. https://doi.org/10.12660/rbfin.v15n3.2017.59406

Monteiro, B. R. L. G., Moraes, A. F., Dutra, T. C., & Nascimento, J. P. (2013). Um estudo econométrico sobre as variávéis macroeconomicas e sua relação com o Ibovespa no período julho de 1996 até Dezembro de 2013. Anais do XIII Simpósio de Excelência e Tecnologia, Minas Gerais, Brasil.

Nunes, M. S., Costa Jr, N. C. A., Meurer, R. (2005). A relação entre o mercado de ações e as variáveis macroeconômicas: uma análise econométrica para o Brasil. Revista Brasileira de Economia, 59(4), 585-607, https://doi.org/10.1590/S0034-71402005000400004

Nunes, M. S., Costa Jr, N. C. A., Seabra, F. (2003). Co-integração e causalidade entre variáveis macroeconômicas," risco Brasil" e retornos no mercado de ações brasileiro. Revista De Economia e Administração, 2(3), 26-42. https://doi.org/10.11132/rea.2002.44

Nunes, M., & Silva, S. (2005). Política Monetária e Relação entre PIB Real e Mercado de Ações na Economia Brasileira [Monetary policy and the relationship between real GDP and stockmarket in the Brazilian economy], MPRA Paper 4158, University Library of Munich, Germany.

Pereira, M. V. L., Araújo, L. C., Iquiapaza, R. A. (2020). Cointegração e previsibilidade de abordagens VECM para o Ibovespa. Revista Brasileira de Financas, 18(2), 82-121. https://doi.org/10.12660/rbfin.v18n2.2020.79162

Pereira, C. V., & Laurini, M. (2020). Portfolio Efficiency Tests with Conditioning Information-Comparing GMM and GEL Estimators (No. 202014). SSRN. https://doi.org/10.2139/ssrn.3421775

Pilinkus, D. (2009). Stock market and macroeconomic variables: evidence from Lithuania. Economics and Management, 14, p. 884-891. Disponível em: https://etalpykla.lituanistikadb.lt/object/LT-LDB-0001:J.04~2009~1367168422680/

Ribeiro, A. A. S., Leite, Á. R., & Justo, W. R. (2016). Análise de cointegração e causalidade entre variáveis macroeconômicas e o índice Dow Jones sobre o Ibovespa. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, 9(1), 121-137. https://doi.org/10.5902/1983465911741

Roll, R. (1977). A critique of the asset pricing theory’s tests Part I: On past and potential testability of the theory. Journal of Financial Economics, 4(2), 129–176. https://doi.org/10.1016/0304-405X(77)90009-5

Schwert, G. W. (1990). Stock returns and real activity: A century of evidence. The Journal of Finance, 45(4), 1237-1257. https://doi.org/10.1111/j.1540-6261.1990.tb02434.x

Shanken, J. (1985). Multivariate tests of the zero-beta CAPM. Journal of Financial Economics, 14, 327–348. https://doi.org/10.1016/0304-405X(85)90002-9

Silva, F. M., & Coronel, D. A. (2012). Análise da Causalidade e Cointegração entre Variáveis macroeconômicas e o Ibovespa. Revista de Administração FACES Journal, 2(3), 31-52.

Silva, F. F., & Motta, L. F. J. (2002). Teste do CAPM zero-beta no mercado de capitais brasileiro. Revista de Economia e Administração, 1(4). https://doi.org/10.11132/rea.2002.28

Silva, Jr., J. C. A., Menezes, G., & Fernandez, R. N. (2011). Uma análise VAR das relações entre o mercado de ações e as variáveis macroeconômicas para o Brasil. Economia e Desenvolvimento, 23. https://doi.org/10.5902/red.v0i23.4931

Publicado

2021-03-22

Como Citar

Teixeira, V. F., Sarlo Neto, A., & Reina, D. (2021). PIB brasileiro como carteira de mercado eficiente no modelo CAPM. Revista Contemporânea De Contabilidade, 18(47). Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/contabilidade/article/view/73930