O estímulo à inovação pelo Senai/SC por meio dos institutos Senai/SC de inovação

Gabriela Regina Crippa, Maria Eduarda Gonçalves Souza

Resumo


Objetivo: O artigo avalia a atuação do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Santa Catarina no fomento à inovação, com ênfase em sua interação com as empresas por meio dos Institutos SENAI de Inovação de Santa Catarina. Examina também o processo inovativo dos ISIs/SC com base nos critérios propostos por Edquist (2001). Classifica-se pelo método indutivo e abordagem quanti-qualitativa, utilizando dados internos do SENAI/SC e de entrevistas com gestores da instituição como fonte de informação. Evidencia-se uma mudança no foco de atuação do SENAI/SC do setor educacional para o de inovação, especialmente após a criação dos Institutos de Inovação e Tecnologia. Destaca-se a atuação dos Institutos SENAI/SC de Inovação no fomento à inovação de indústrias de todo território nacional, contribuindo para a formação de uma rede interativa de aprendizagem e apresentando 06 dos 10 fatores listados por Edquist (2001) como influenciadores para difusão de inovação. Verifica-se uma crescente relevância do SENAI/SC e de seus institutos no Sistema Nacional e Regional de Inovação.


Palavras-chave


Sistema Nacional de Inovação; Sistema Regional de Inovação; Institutos SENAI de Inovação; SENAI; Inovação

Texto completo:

PDF

Referências


BAHIA, Luiz Dias. Determinantes principais de inovação na indústria brasileira: Uma análise preliminar. Texto para Discussão, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), 2009.

BITTENCOURT, P.; CÁRIO, S. A. Economia da Ciência, Tecnologia e Inovação. Curitiba: Prisma, 2017.

BRASIL. Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial. Os desafios da política industrial brasileira: Uma contribuição da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) 2004 - 2014, 2016, Brasília. Disponível em: http://www.abdi.com.br/Estudo/10anosABDI2016%20web.pdf. Acesso em: 28 jan. 2018.

BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC). Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação 2016-2022: Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Econômico e Social, 2016. Brasília.

BRASIL. Ministério da Educação. Ministério da Educação - Pronatec. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/pronatec/o-que-e. Acesso em: 21 jan. 2018.

BRASIL. Congresso. Lei Nº 12.513, de 26 de Outubro de 2011. Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC). Diário Oficial da União, 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12513.htm. Acesso em: 21 jan. 2018.

CÁRIO, Silvio A. F.; LEMOS, Daniela C.; BITTENCOURT, Pablo F. Sistema regional de inovação e desenvolvimento. Blucher Engineering Proceedings, v. 3, n. 4, p. 1352-1369, 2016.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA. Portal da Indústria, 2018. Disponível em: http://www.portaldaindustria.com.br/senai/institucional/historia/#album_fotos[ajax]/0/. Acesso em: 20 jan. 2018.

DOLOREUX, David; PARTO, Saeed. Regional innovation systems: Current discourse and unresolved issues. Technology in society, v. 27, n. 2, p. 133-153, 2005.

EDQUIST, Charles. The Systems of Innovation Approach and Innovation Policy: An account of the state of the art. In: DRUID conference, Aalborg. 2001. p. 12-15.

FREEMAN, Chris. The ‘National System of Innovation’ in historical perspective. Cambridge Journal of economics, v. 19, n. 1, p. 5-24, 1995.

FREEMAN, Chris; SOETE, Luc. A economia da inovação industrial. Editora da UNICAMP, 2008.

INSTITUTOS SENAI DE INOVAÇÃO. Institutos de Inovação SENAI, 2018. Disponível em: http://institutos.senai.br/institutos/. Acesso em: 11 fev. 2018.

LUNDVALL, Bengt‐Åke. National innovation systems: analytical concept and development tool. Industry and innovation, v. 14, n. 1, p. 95-119, 2007.

MALERBA, F. Setoral systems of innovation and production. Research Policy, v. 31, n.2, p.247-264, 2002.

MAZZUCATO, Mariana. O Estado Empreendedor: desmascarando o mito do setor público vs. setor privado. Portfolio-Penguin, 2014.

NELSON, R. As Fontes do Crescimento Econômico. (A. G. Freitas, Trad.) Campinas, São Paulo, Brasil: Unicamp, 2006.

PRODANOV, Cleber Cristiano; DE FREITAS, Ernani Cesar. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico-2ª Edição. Editora Feevale, 2013.

PÓVOA, Luciano Martins Costa. A crescente importância das universidades e institutos públicos de pesquisa no processo de catching-up tecnológico. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v.12, n. 2, maio-ago. 2008. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/5939/1/ARTIGO_CrescenteImportanciaUniversidades.pdf. Acesso em: 12 de fev. 2018.

SAD - Sistema de Apoio à Decisão, 2018. SAD - Sistema de Apoio à Decisão.

SANTOS, Ester Carneiro do Couto. Papel do Estado para o desenvolvimento do SNI: lições das economias avançadas e de industrialização recente. Economia e Sociedade, v. 23, n. 2, p. 433-464, 2014.

SCHUMPETER, Joseph Alois. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico (1934). Tradução de Maria Sílvia Possas. Coleção Os Economistas. São Paulo: Nova Cultural, 1997

SENAI. Instituto SENAI de Inovação. Institutos SENAI História. Disponível em: http://institutos.senai.br/rede/historia/. Acesso em: 21 jan. 2018.

SENAI/SC. SENAI/SC. Programa Estruturante 2012 – 2017. 2012. Florianópolis.

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. Documentos internos, 2019. Florianópolis.

SGN - Sistema de Gestão do Negócio. SGN - Sistema de Gestão do Negócio, 2018, Florianópolis.

SILVEIRA, Aline Dario et al. Análise do Sistema Nacional de Inovação no setor de energia na perspectiva das políticas públicas brasileiras. Cadernos EBAPE. BR, v. 14, p. 506-526, 2016.

VARELLA, Sergio Ramalho Dantas; MEDEIROS, Jefferson BS de; SILVA JUNIOR, Mauro Tomaz. O desenvolvimento da teoria da inovação schumpeteriana. XXXII ENEGEP, Bento Gonçalves, RS, 2012.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8085.2019.e59715

Creative Commons License
Revista Textos de Economia. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN: 2175-8085 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional
> > > > >