Pobreza e gênero: evolução dos indicadores de pobreza Foster-Greer-Thorbecke (FGT) para o Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8085.2020.e71922

Palavras-chave:

Pobreza, Gênero, Economia feminista

Resumo

O objetivo desse artigo é avaliar a hipótese de que houve feminização da pobreza no Brasil nos anos de 2005 e 2015, utilizando-se dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A partir do índice de pobreza Foster-Greer-Thorbecke (FGT), foi calculada a proporção de pobres (P0) em relação ao restante da população, o hiato de pobreza (P1) e sua severidade (P2) para o Brasil e suas macrorregiões, segundo gênero, posição na ocupação e na família. Os principais resultados não apontam evidências de feminização da pobreza no período quando são comparados os gêneros. Porém, levando-se em consideração a posição de ocupação da mulher (chefe ou cônjuge) e o tipo de família (mulher com filhos), houve aumento na incidência e intensidade da pobreza ao longo dos anos analisados.

Referências

ABRAMO, L. Desigualdade de gênero e raça no mercado de trabalho brasileiro. Ciência e Cultura. vol.58 n.4 São Paulo outubro/dezembro. 2006.

BANCO MUNDIAL. 2013. Poverty and Equity Data. Disponível em: http://povertydata.worldbank.org/poverty/home. Acesso em 23 dez 2018.

BARRETO, F. A. F. D.; OLIVEIRA, V. H. DE; FRANÇA, J. M. de. O que mais importa no combate à pobreza, crescimento econômico ou redução da desigualdade: evidências para as regiões brasileiras.Fortaleza: LEPCAEN (SérieEnsaiossobrePobreza, n. 16), 2018.

BARROS, R. P.; FOX, L.; MENDONÇA, R. Female-Headed households, poverty, and the welfare of children in urban Brazil. Whashington, DC: The World Bank, Mar.1994 (Policy Research Working Paper, n.1. 275).

BRADSHAW, J. FINCH, N.; KEMP, P. A.; MAYHEW, E.; WILLIAMS, J. Gender and poverty in Britain. York: Social PolicyResearch Unit, University of York, (Working Paper Series, n. 6), 2013.

BUAINAIN, A. M.; ALVES, E.; SILVEIRA, J. M. da.; NAVARRO, Z. Sete teses sobre o mundo rural brasileiro. Revista de Política Agrícola, Vol. 22, Nº. 2, Brasília, Distrito Federal, p. 105-121, abril-junho, 2013.

CASTRO, M. G. Family, gender and work: the case of female heads of houselod in Brazil (states of São Paulo and Bahia) – 1950 – 1980. University of Florida, 1989.

COSTA, J. S; PINHEIRO, L; MEDEIROS, M; QUEIROZ, C. A face feminina da pobreza: sobre-representação e feminização da pobreza no Brasil. Brasília, DF: IPEA, 2005. (Texto para discussão, n. 1137). Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_1137.pdf>. Acesso em: 20 dez 2018.

FOSTER, J.; GREER, J.; THORBECKE, E. A Class of Decomposable Poverty Measures. Econometrica, Vol. 52, Nº. 3, p. 761-766, 1984.

GUIMARÃES, P. W. Variação de renda familiar, desigualdade e pobreza no Brasil. 177f. Tese (doutorado em Economia Aplicada) – Departamento de Economia Rural, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, 2007.

HOFFMANN, R. Distribuição de renda: medidas de desigualdade e pobreza. São Paulo: EDUSP, 1998.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD. Rio de Janeiro, RJ, 2018.

KAGEYAMA, A. O Sub-emprego agrícola nos anos 90. Texto para Discussão. Campinas, Instituto de Economia, UNICAMP, março, 1997.

KAGEYAMA, A. e HOFFMANN, R. Pobreza no Brasil: uma perspectiva multidimensional. Economia e Sociedade, Campinas, v15, n. 1 (26), p. 79-112, jan./jun. 2006.

KUZNETS, S. Economic Growth and Income Inequality. American Economic Review, v.45, n.1, 1955.

LAMPIETTI, J. A.; STALKER, L. Consumption expenditure and female poverty: a review of the evidence. Washington, DC: Policy Research Report on Gender and Development, The World Bank, Apr. 2000 (Working Paper Series, n. 11).

LAVINAS, Lena. As mulheres no universo da pobreza: o caso brasileiro. Estudos Feministas, v.4, n.2, p. 464-479, 1996.

LIMA, J. R. F. de. Efeitos da pluriatividade e rendas não-agrícola sobre a pobreza e desigualdade rural na região Nordeste. 157 f. Tese (Doutorado em Economia Aplicada) – Departamento de Economia Rural, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, Minas Gerais, 2008.

MARCOUX, A. The feminization of poverty: claims, facts, and data needs. PopulationandDevelopmentReview, v. 24, n. 1, p. 131-139, Mar. 1998.

MELO, H. P. de. A pobreza e as políticas de gênero no Brasil. Unidade Mujer y Desarrollo – Projecto “Governabilidade democrática e igualdade de gênero”. Santiago de Chile, junho, 2005.

MOGHADAM, V. The feminisation of poverty: notes on a concept and trend. Normal: Illinois StateUniversity, (Women’sStudiesOccasionalPaper, n. 2), 1997.

MOREIRA, R.B. Pobreza e desigualdade rural na região Sudeste sob o enfoque da pluriatividade e rendas não-agrícolas. Dissertação, 105 p. Universidade Federal de Viçosa, 2010.

NEDER, H.D..Os efeitos das atividades não agrícolas na distribuição de renda do meio rural do Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 41, n. 1, p. 265-290, 2003.

NOVELLINO, M. S. F. Os estudos sobre feminização da pobreza e políticas públicas para mulheres. In: Anais do XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais. Caxambu, v. 1, 2004.

OLIVEIRA, N. S. M. N. de. Pobreza das mulheres chefes de família da Região Nordeste do Brasil: uma análise multidimensional. 2018. 184 f. Tese (Pós-Graduação, Doutorado em Desenvolvimento Regional e Agronegócio) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo/Brasil, 2018.

PEARCE, D. The feminization of poverty: women, work and welfare. Urbanand Social ChangeReview, v. 11, p. 28-36, 1978.

PEREIRA, A. F. C.; LIMA, J. R. F.; JUSTO, W. R. Impactos das rendas não-agrícolas sobre os indicadores de pobreza Foster-Greer-Thorbecke (FGT) para as famílias rurais do estado de Pernambuco. In: IV Encontro Pernambucano de Economia, Recife, Pernambuco, 22 p., 2015.

PEREIRA, A. F. C. Impactos da pluriatividade e rendas não-agrícolas sobre a incidência de pobreza nas famílias agrícolas brasileiras. / Alan Francisco Carvalho Pereira. – 2017. 135f. :il.; 30 cm.

RAVALLION, M.; BIDANI, B. How Robust Is a Poverty Profile? World Bank. EconomicReview 8 (1): 75–102, 1994.

SILVEIRA, E. C; SILVA, S. de F. M. Chefia feminina: uma análise sobre a estrutura das famílias monoparentais femininas e a feminização da pobreza. In: IV Seminário CETROS Neodesenvolvimentismo, Trabalho e Questão Social, 2013, Fortaleza. Anais... Fortaleza: UECE, 2013.

SIQUEIRA, M. L.; SIQUEIRA, M. L. Desigualdade de renda no nordeste brasileiro: uma análise de decomposição. In: ENCONTRO REGIONAL DE ECONOMIA, 11, 2006, Fortaleza. Anais. Rio de Janeiro, Anpec,. P. 3 – 17., 2006.

WORLD BANK. Handbook on poverty and inequality. By Jonathan Henry Haughton,Shahidur R. Khandker. Document of the World Bank, Washington, DC, 2009.

WRIGHT, R. E. A feminisation of poverty in GreatBritain?Review of Income and Wealth, v. 38, n. 1, p. 17-25, Mar. 1992.

Downloads

Publicado

2020-06-30

Edição

Seção

Artigos