Hierarquia, legitimidade e autoridade no processo de institucionalização da sociologia como disciplina escolar (1997-2008)

Lívia Bocalon Pires de Moraes

Resumo


Este artigo busca analisar a institucionalização recente do ensino de sociologia no Ensino Médio, entre 1997 e 2008, com base na teoria sociológica de Pierre Bourdieu, em especial suas noções de poder simbólico, campo, capital e habitus, enfocando as ações de Amaury Cesar Moraes, Ileizi Luciana Fiorelli Silva, Sueli Guadelupe de Lima Mendonça, Elisabeth da Fonseca Guimarães, Nelson Dacio Tomazi, Heloisa Helena Teixeira de Souza Martins, e Lejeune Mato Grosso de Carvalho, cientistas sociais pioneiros neste processo. Enfatiza o envolvimento de cada um deles e a rede de relações pessoais e institucionais que gradativamente se constituiu, bem como suas concepções e representações acerca de suas ações e das relações atinentes a elas, e compreende as ações estratégicas que eles empreenderam a partir análise das diferentes posições hierárquicas ocupadas nos espaços sociais envolvidos com esta institucionalização.


Palavras-chave


Ensino de Sociologia; Institucionalização do Ensino de Sociologia; Pierre Bourdieu

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1980-3532.2015n14p24

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported License.

Em Debat: Rev., ISSNe 1980-3532, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.