Chamada para envio de artigos para o dossiê "História urbana global"

2020-07-02

A revista Esboços: histórias em contextos globais convida pesquisadoras e pesquisadores a submeterem artigos para o dossiê "História urbana global", organizado por Carl H. Nightingale (University at Buffalo, State University of New York), João Júlio Gomes dos Santos Júnior (Universidade Estadual do Ceará) e Mariana Dantas (Ohio University). Os artigos devem ser enviados até 06 de agosto de 2020 através da plataforma da revista. O dossiê será publicado no v. 28, n. 47, jan./abr. 2021.

Chamada para o dossiê "História urbana global"

A emergência da cidade global como um tópico de investigação acadêmica e o reconhecimento das cidades como um espaço de interações humanas e econômicas que possibilitam e negociam o processo de globalização têm, desde a década de 1980, produzido uma rica literatura sobre estudos urbanos que tem colaborado no entendimento das dinâmicas contemporâneas globais. Historiadores urbanos, seguindo os passos de geógrafos, sociólogos e outros, têm avançado esse empreendimento acadêmico de diversas forma: seja destacando as redes e conexões urbanas ou enfatizando a circulação de pessoas, produtos, ideias e práticas; seja privilegiando uma localidade urbana ou comparando duas ou mais cidades; seja explorando e comparando os desenvolvimentos sincrônicos e diacrônicos; esses pesquisadores têm revelado cidades e urbes como criações e criadoras dos fenômenos históricos globais.

A feliz confluência do urbano e do global tem, além disso, introduzido ao campo dos estudos urbanos algumas preocupações analíticas importantes da história global. Em particular, a história urbana global ultrapassa as fronteiras das histórias nacionais para contextualizar suas fontes primárias e descobertas em novas e mais relevantes geografias de análise. Ela também rejeita o modelo difusionista das histórias imperiais, que tendem a representar a Europa como o epicentro do progresso histórico; suas análises centram-se em espaços de relevância em todo e qualquer lugar do mundo. Historiadores urbanos globais estão, portanto, em uma posição privilegiada para produzir novas e mais precisas narrativas sobre processos de intercâmbios, trocas, e continuidades globais que destaquem a centralidade histórica de localidades e populações até então pouco estudadas e por vezes ignoradas.

Operando na esteira da tradição da história urbana, os historiadores urbanos globais continuam a produzir descrições completas e minuciosas dos seus tópicos de pesquisa. Geralmente, eles utilizam-se de densas coleções arquivísticas, leituras cuidadosas das fontes e comparações explícitas. Essa produção, centrada na intersecção do global e do urbano, sucede em evitar uma perspectiva panorâmica, comprometida por generalizações que, por vezes, enfraquecem algumas histórias globais. Centrando-se em sólidos estudos de casos, esses trabalhos utilizam palpáveis histórias de pessoas e lugares para elucidar o mundo humano em geral.

O dossiê temático “História urbana global” da revista Esboços: histórias em contextos globais convida contribuições de investigadores do urbano que avancem para além das fronteiras e limites das cidades, regiões e nações e que abracem as dinâmicas do global, e da globalização, em seus tópicos de pesquisa. Particularmente interessa aos editores contribuições que explorem o diálogo entre espaços e populações urbanos e processos ou eventos globais. Como as cidades, espaços urbanos e pessoas moldaram os movimentos humanos, econômicos, e culturais globais, políticas e padrões comportamentais internacionais? Como as forças globais criaram espaços urbanos específicos, dinâmicas e populações que emergem e operam sob circunstâncias similares em regiões distantes e distintas no mundo? Contribuições em português, espanhol e particularmente inglês são bem-vindas.