Música e nacionalismo em um projeto de hegemonia política

Tânia Regina da Rocha Unglaub

Resumo


Durante o período do Estado Novo, o Brasil vivenciou o movimento histórico de maior valorização da música no ambiente educacional. Esta valorização se materializou através do uso do canto orfeônico em caráter obrigatório em toda a rede escolar, mas não afetou somente o ambiente acadêmico, pois se desdobrou e ampliou-se nas grandes manifestações cívicas que mobilizaram a população em geral sob as vistas coniventes e até mesmo interessadas da elite intelectual da nação. O que se apresentará neste esboço é justamente a estratégia utilizada para que os objetivos nacionalistas e ufanistas do regime dominante de então, se tornasse realidade, ao valer-se do notório da música representado pelo canto orfeônico nas escolas.

Palavras-chave


Nacionalização; Música; Educação; Estado Novo

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2019 Tânia Regina da Rocha Unglaub

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil