O Museu Nacional: História, Biologia e Ciência

Autores

  • Samira Peruchi Moretto Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2011v18n25p302

Palavras-chave:

História Ambiental

Resumo

Resenha da obra: DUARTE, Regina Horta. A Biologia militante: o Museu Nacional, especialização científica, divulgação do conhecimento e práticas políticas no Brasil – 1926-1945. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2010.

O Museu Nacional do Rio de Janeiro, no início do século XX, era composto por um grupo de cientistas que se destacaram por modificar o cenário desta instituição. Foi através destes pesquisadores que o Museu recriou suas práticas e aproximou diferentes áreas do conhecimento, partindo do argumento que a biologia era um saber decisivo na solução dos problemas políticos e sociais do Brasil. Este é o tema do livro A Biologia Militante, que foi lançado no dia 10 de dezembro de 2010 e integra a coleção do Instituto de Estudos Avançados e Transdiciplinares (IEAT), da Universidade Federal de Minas Gerais.

Biografia do Autor

Samira Peruchi Moretto, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História pela Universidade Federal de Santa Catarina, bolsista CNPq. Graduada em História e Mestre pela mesma Universidade. Ênfase em pesquisas na área de História Ambiental. Faz parte do Grupo de Pesquisa do CNPq: Laboratório de Imigração, Migração e História Ambiental, UFSC. Atualmente pesquisadora dos seguintes temas: Domesticação de espécies vegetais, Desmatamento, Reflorestamento, Floresta de Araucária.

Downloads

Publicado

2011-06-23