A pena e a forja: jornais de trabalhadores no Amazonas no século XIX

Maria Luiza Ugarte Pinheiro

Resumo


O jornalismo produzido por trabalhadores marcou sua presença no cenário amazonense. Alimentou-o diretamente as importantes mudanças ocorridas no cenário regional, marcadamente a rápida expansão econômica, que atraiu e marginalizou amplos contingentes de trabalhadores urbanos. O presente artigo analisa o surgimento dos primeiros jornais operários no Amazonas que teve início no final do século XIX com a publicação dos periódicos O Restaurador -1890; O Imparcial – 1890;  Gutenberg – 1891-1892; Operário –1892, e se estendeu com mais vigor pelas primeiras décadas do século XX. O surgimento desses periódicos guarda relação direta com o avanço da imprensa no Amazonas, seja pela proliferação de tipografias, concentrando trabalhadores gráficos que mais tarde irão se lançar na feitura de seus próprios jornais, seja pelo sucesso da nova linguagem, capaz de articular interesses comuns e amplificar a atuação de grupos e segmentos sociais até então incapazes de se fazerem ouvir no seio da comunidade.


Palavras-chave


História da Imprensa; Imprensa Operária; Movimento Operário; Periodismo; Jornalismo operário

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7976.2014v21n31p251

Direitos autorais 2019 Maria Luiza Ugarte Pinheiro

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil