Origens sociais e arranjos matrimoniais de uma família de imigrantes portugueses: a genealogia dos Vieira dos Santos (c. 1750-1820)

Sandro Aramis Richter Gomes, André Luiz Moscaleski Cavazzani

Resumo


Este artigo comporta uma investigação sobre a natureza das ocupações profissionais e dos vínculos matrimoniais de três gerações da família Vieira dos Santos. Essa parentela de origem portuguesa contava com membros que imigraram para o sul da capitania de São Paulo no fim do século XVIII. Há três argumentos sustentados nesta análise. Primeiro, é evidenciado que a formação dessa parentela foi decorrente da absorção, por meio do casamento, de indivíduos que exerciam profissões como a de agricultor e ourives. Segundo, cumpre evidenciar que a vinda para o Brasil não gerou a permanência dos imigrantes nas ocupações dos seus ascendentes. A mudança para tal colônia portuguesa ocasionou o ingresso dos membros daquela família no comércio e em esferas da administração pública. Terceiro, é demonstrado que, no Brasil, os integrantes dessa parentela mantiveram uma prática adotada por seus ascendentes. Tal prática era selecionar padrinhos pertencentes a um mesmo grupo profissional. Os Vieira dos Santos radicados em Portugal e no Brasil empregaram análogas estratégias familiares. Uma consequência dessas estratégias foi reforçar o pertencimento dessa parentela a círculos sociais compostos por artífices e comerciantes.


Palavras-chave


Artífices; Esquemas Matrimoniais; Imigração Portuguesa

Texto completo:

PDF

Referências


BALHANA, Altiva. Santa Felicidade: uma paróquia vêneta no Brasil. Curitiba: Fundação Cultural, 1978.

BERUTE, Gabriel; SCOTT, Ana Silvia Volpi; SCOTT, Dario. Negócios em família: migração, comerciantes portugueses e suas redes (Porto Alegre, Rio Grande de São Pedro, séculos XVIII-XIX). Acervo: Revista do Arquivo Nacional, Rio de Janeiro, n. 30, n. 1, p. 105-120, 2017.

BIDEAU, Alain; NADALIN, Sérgio. Une communauté allemande au Brésil: de l’immigration aux contacts culturels, XIXe-XXe siècle. Paris: Ined, 2011.

BRÜGGER, Silvia Maria Jardim. Escolhas de padrinhos e relações de poder: uma análise do compadrio em São João d’El Rey (1736-1850). In: CARVALHO, José Murilo de (org.). Nação e cidadania no Império: novos horizontes. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. p. 313-347.

CAPELA, José. A burguesia mercantil do Porto e suas colônias, 1834-1900. Porto: Afrontamento, 1975.

CARDOSO, Tereza Fachada Levy (org.). História da profissão docente no Brasil e em Portugal. Rio de Janeiro: Mauad, 2014.

CAVAZZANI, André Luiz Moscaleski. Tendo o sol por testemunha: população portuguesa na baía de Paranaguá (c. 1750-1830). São Paulo: Alameda, 2015.

COLATUSSO, Denise. Imigrantes alemães na hierarquia de status da sociedade luso-brasileira (Curitiba, 1869 a 1889). 2004. 151 p. Dissertação (Mestrado em História) –Departamento de História, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2004.

COSTA, Samuel Guimarães da. O último capitão-mor (1782-1857). Curitiba: Editora da Universidade Federal do Paraná, 1988.

ENGEMANN, Carlos. Da comunidade escrava e suas possibilidades, séculos XVII-XIX.In: FLORENTINO, Manolo (org.). Tráfico, cativeiro e liberdade: Rio de Janeiro, séculos XVII-XIX. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005. p. 169-205.

GORENSTEIN, Riva; MARTINHO, Lenira Menezes. Negociantes e caixeiros na sociedade da Independência. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Esportes, 1992.

GUDEMAN, Stephen. Spiritual Relationship and Selecting Godparent. Man, new series, London, v. 10, n. 2, p. 221-237, 1975.

GUDEMAN, Stephen. The compadrazgo as a reflection of the natural and spiritual person. Proceedings of the Royal Anthropological Institute of Great Britain and Ireland, London, n. 1971, p. 45-71, 1971.

HAMEISTER, Martha Daisson. Para dar calor à nova povoação: estratégias sociais e familiares a partir dos registros batismais da Vila do Rio Grande (c.1748-c. 1763). 2006. 474 p. Tese (Doutorado em História Social) – Departamento de História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

LEAL, Augusto Soares de d’Azevedo Barbosa de Pinho. Portugal Antigo e Moderno. Lisboa: Livraria de Matos Moreira e Cia., 1874.

LEANDRO, José Augusto. Gentes do grande mar redondo: riqueza e pobreza na Comarca de Paranaguá (1850-1888). 2006. 323 p. Tese (Doutorado em História Social) – Departamento de História, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

MACHADO, Cacilda. De uma família imigrante: sociabilidade e laços de parentesco. Curitiba: Aos Quatro Ventos, 1998.

MARQUES, Rachel. Por cima da carne seca: hierarquia e estratégias sociais no Rio Grande do Sul (c.1750-1820). 2012. 173 p. Dissertação (Mestrado em História) – Departamento de História, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012.

NEGRÃO, Francisco. Genealogia paranaense. Vol. 3. Curitiba: Imprensa Oficial, 2004.

OREY, Leonor (dir.). Cinco séculos de joalharia. Londres: Zwemmer, 1995.

PEREIRA, Magnus. O Almuthasib: considerações sobre o direito de almotaçaria nas cidades de Portugal e suas colônias. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 21, n. 42, p. 365-395, 2001.

QUEIROZ, Maria Bertulini de. Paróquia de São Pedro do Rio Grande: estudo de história demográfica (1737-1850). 1992. 416 p. Tese (Doutorado em História) – Departamento de História, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1992.

REINO DE PORTUGAL. Provimento militar. Gazeta de Lisboa, Lisboa, ano 80, n. 12, 17 out. 1794, Suplemento, p. 3.

Revista Lusitana, v. 37-38, 1939.

RODRIGUES, Henrique. Emigração e alfabetização: o Alto-Minho e a miragem do Brasil. Viana do Castelo: Governo Civil de Viana do Castelo, 1995.

ROWLAND, Robert. A cultura brasileira e os portugueses. In: ALMEIDA, Miguel Vale; BASTOS, Cristiana; FELDMAN-BIANCO, Bela (orgs.). Trânsitos coloniais: diálogos críticos luso-brasileiros. Campinas: Ed. da Unicamp, 2007. p. 373-383.

ROWLAND, Robert. Portugueses no Brasil Independente: processos e representações. Revista Oceanos, Lisboa, n. 44, p. 68-84, out.-dez. 2000a.

ROWLAND, Robert. Brasileiros do Minho: emigração, propriedade e família. In: BETHANCOURT, Francisco; CHAUDHURI, Kirti (orgs.). História da expansão portuguesa: do Brasil para a África. Vol. 4. Lisboa: Círculo de Leitores, 2000b. p. 324-347.

SANTILLI, Daniel Victor. Entre el clientelismo y el reforzamiento de vínculos: familia e padrinazco en Buenos Aires, 1780-1840. Revista de Demografía Histórica, Madrid, v. 27, n. 2, p. 111-148, 2009.

SANTOS, Antônio Vieira dos. Breve resumo dos sucessos mais notáveis acontecidos desde 1797 até 1827. Morretes: s/e, 1827.

SANTOS, Antônio Vieira dos. Memória histórica, cronológica, topográfica e descritiva de Morretes e do Porto de Cima. Curitiba: Museu Paranaense, 1950.

SCARPIM, Fábio. Bens simbólicos em laços de pertencimento: família, religiosidade e identidade étnica nas práticas de transmissão de nomes de batismo em um grupo de imigrantes italianos (Campo Largo-PR, 1878-1937). 2010. 230 p. Dissertação (Mestrado em História) – Departamento de História, Universidade Federal do

Paraná, Curitiba, 2010.

SCOTT, Ana Sílvia Volpi. Famílias, formas de união e reprodução social no Noroeste português (séculos XVIII e XIX). São Leopoldo: Oikos; Editora da Unisinos, 2012.

SILVA, Nuno Vassallo e. A ourivesaria entre Portugal e a Índia: do século XVI ao século XVIII. Lisboa: Santander Totta, 2008.

SOUSA, Ana Cristina. Metamorfoses do ouro e da prata: a ourivesaria tradicional no Noroeste de Portugal. Porto: Centro Regional de Artes Tradicionais, 2000.

SOUSA, Gonçalo de Vasconcelos e. A joalharia em Portugal: 1750-1825. Porto: Livraria Civilização Editora, 1999.

SOUSA, Gonçalo de Vasconcelos e. A ourivesaria da prata em Portugal e os mestres portuenses: história e sociabilidade (1750-1810). Porto: Edição do Autor, 2004.

SOUSA, Gonçalo de Vasconcelos e. Dicionário de Ourives e Lavrantes da Prata do Porto: 1750-1825. Porto: Livraria Civilização Editora, 2005.

STOLLMEIER, Luara Antunes. Os Fontana: aspectos da experiência imigrante (1880-2015). Dissertação (Mestrado em Sociologia). 2016. 154 p. Departamento de Sociologia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

VASCONCELOS, Joaquim de. História da ourivesaria e joalheria portuguesa. Porto: s/e, 1912.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7976.2019.e61493

Direitos autorais 2019 Sandro Aramis Richter Gomes

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil