Por uma leitura político-militar da Revolução Russa: o Estado Soviético e o comunismo de guerra permanente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2020.e66299

Palavras-chave:

Revolução Russa, Estado Soviético, Nova história militar

Resumo

O presente artigo centra energia na leitura da política soviética construída no calor revolucionário, isto é, o ato hermenêutico que parte do desdobramento da lama das batalhas reais e imaginadas travadas no afã da construção de um estado proletário. Trata-se de descarga político-militar com o propósito de salvaguardar o projeto de superação do capitalismo, diante do iminente perigo da contrarrevolução. Nesse sentido, o autoritarismo soviético foi, com efeito, de matriz militar, carregado de disciplina e hierarquia belicosa, genealogia antes encontrada nos manuais militares do que nos livros de política marxista emancipatória. É o que explica a emergência de uma sociedade militarizada da cabeça aos pés. O objetivo principal deste artigo é o de interpretação político-militar acerca do processo revolucionário russo de 1917, a fim de constituir uma paisagem do real vivido com base nas práticas belicosas que acompanharam a formação do Estado Soviético. Assim, é possível, ao longo do texto, inferir que há uma importante singularidade no contexto revolucionário em tela, momento de emergência das guerras totais, que impactou no devir do primeiro Estado Socialista do século XX.

Biografia do Autor

Ronaldo Queiroz de Morais, Docente Universidade Ritter dos Reis (UNIRITTER) e do Quadro permanente do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA).

Possui Graduação e Bacharelado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestrado em Integração Latino - Americana pela Universidade Federal de Santa Maria e Doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo. Docente de Ensino Superior e Médio. Leciona – como Professor Convidado - na Pós-Graduação da Faculdade Porto-Alegrense (FAPA) e no quadro permanente do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA). Tem experiência na área de História, Filosofia, Antropologia, Sociologia, Economia Política e Teoria/Metodologia da Pesquisa, com ênfase em Práticas de Ensino e História do Brasil Republicano, atuando principalmente nos seguintes temas de pesquisa: Educação, Mídia e Poder; Nova História Política e Militar, Instituições Militares e Normalização, Esquerda Militar; Modernidade e Violência, Anticomunismo e a Monstrualização da Esquerda Política; Cultura e Contemporaneidade.

Referências

ALEKSIÉVITCH, Svetlana. O fim do homem soviético. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

BOGDÁNOV, Aleksandr. Carta de Bogdánov a Lunatchárski. In: GOMIDE, Bruno (org.). Escritos de Outubro: os intelectuais e a Revolução Russa. São Paulo: Boitempo, 2017.

BROUÉ, Pierre. União Soviética: da revolução ao colapso. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1996.

CARR, Edward H. A Revolução Russa de Lenin a Stalin. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

COLOMBO, Yuri. Partindo da Estação Finlândia: Especial Revolução Russa. Blog da Boitempo. São Paulo, 08 maio 2017. Disponível em: https://blogdaboitempo.com.br/2017/05/08/partindo-da-estacao-finlandia-especial-revolucao-russa/ Acesso em: 20 set. 2018.

CHRETIEN, Todd. Antes de Fevereiro: Especial Revolução Russa. Blog da Boitempo. São Paulo, 20 mar. 2017. Disponível em: https://blogdaboitempo.com.br/2017/03/20/antes-de-fevereiro/ Acesso em 03 maio 2018.

FERNANDES, Luís. Reflexões não muito ortodoxas sobre a Revolução Russa: legados e lições do centenário. In: JINKINGS, Ivana. 1917: o ano que abalou o mundo. São Paulo: Boitempo, 2017.

FERRO, Marc. A Revolução Russa de 1917. São Paulo: Perspectiva, 2011.

FITZPATRICK, Sheila. A Revolução Russa. São Paulo: Todavia, 2017.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FURET, François. A Revolução em debate. Bauru: EdUSC, 2011.

HOBSBAWM, Eric. Tempos interessantes: uma vida no século XX. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

HOBSBAWM, Eric. A era dos impérios (1875-1914). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2012.

LENIN, Wladimir. O Estado e a Revolução. Rio de Janeiro: Boitempo, 2017.

LENIN, Wladimir. Lenin no poder: textos pós-revolução. Porto Alegre: L&PM, 1979.

LOSURDO, Domenico. Stálin e Hitler: irmãos gêmeos ou inimigos mortais? In: JINKINGS, Ivana. 1917: o ano que abalou o mundo. São Paulo: Boitempo, 2017.

KURZ, Robert. O colapso da modernização: da derrocada do socialismo de caserna à crise da economia mundial. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

MARIE, Jean-Jacques. História da Guerra Civil Russa. São Paulo: Contexto, 2017.

MANIFESTOS VERMELHOS e OUTROS TEXTOS HISTÓRICOS DA REVOLUÇÃO RUSSA. Introdução de Daniel Aarão Reis. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

MIÉVILLE, China. Depois de Outubro. In: JINKINGS, Ivana. 1917: o ano que abalou o mundo. São Paulo: Boitempo, 2017.

TROTSKY, Leon. História de La Revolución Russa. Tomo I. Bogotá: Pluma Ltda, 1982.

WOOD, Allan. As origens da Revolução Russa. São Paulo: Ática, 1991.

Downloads

Publicado

2021-01-15

Edição

Seção

Artigo