Impulso artístico e mentira: a presença de Schopenhauer em Sobre verdade e mentira no sentido extramoral

Thelma Lessa da Fonseca

Resumo


A dualidade fenômeno/coisa em si não parece ser paradigma sustentável nesse ensaio de Nietzsche, apesar de sua então confessa filiação a Schopenhauer. A ideia de Kunsttrieb, herdada de Schelling, o situa em um cenário bem mais afeito à noção dionisíaca de criação, o que impõe certa distância em relação às inclinações ascéticas próprias da concepção schopenhaueriana de estética. A apresentação proposta tem em vista discutir as possíveis incongruências entre as apropriações de Schelling, Schiller e de Schopenhauer nesse escrito de Nietzsche.


Palavras-chave


Schelling; Schiller; Schopenhauer; Nietzsche; criação; mentira

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1677-2954.2012v11nesp1p241

          

 

 

ethic@. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1677-2954

Licença Creative Commons
This work is licensed under a  Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional