Da crítica imanente à crítica do sofrimento: sobre o problema da fundamentação normativa da teoria crítica de Theodor W. Adorno

Amaro Fleck

Resumo


A teoria crítica adorniana é seguidamente acusada de possuir um déficit normativo, isto é, de não conseguir prestar contas acerca dos critérios que utiliza para criticar a sociedade. O presente artigo busca mostrar, sobretudo por meio da análise da obra Dialética negativa, como Adorno justifica as suas críticas. Para tanto, é necessário investigar a ideia de crítica imanente, diferenciando seu uso instrumental e não instrumental, e seu uso negativo e positivo. Defende-se assim que Adorno faz um uso puramente instrumental da crítica imanente positiva (a crítica da ideologia), ao mesmo tempo em que recorre, em última instância, a uma crítica imanente negativa, a qual pode ser identificada, em sua obra, com a crítica do sofrimento social.


Palavras-chave


Theodor W. Adorno; Teoria Crítica; Dialética Negativa; Crítica Imanente; Sofrimento Social

Texto completo:

PDF/A

Referências


ADORNO, Theodor W. Ästhetische Theorie. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1986.

_____; “Kritik”. In: ADORNO, Theodor. Gesammelte Schriften 10/2. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1986b.

_____. Probleme der Moralphilosophie. Frankfurt am Main: Suhrkamp

Verlag, 1996.

_____. Dialética negativa. Tradução de M. A. Casanova. Revisão de E. S. Neves Silva. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

BENZER, Matthias. The Sociology of Theodor Adorno. Cambridge:

Cambridge University Press, 2011.

BOLTANSKI, Luc e BOURDIEU, Pierre. “La production de l’idéologie

dominante”. Actes de la recherche en sciences sociales 2.2, pp. 3-73,

BOLTANSKI, Luc e CHIAPELLO, Ève. Le nouvel esprit du

capitalisme. Paris: Éditions Gallimard, 2011.

COOK, Deborah. “Adorno, ideology and ideology critique”. In:

Philosophy and social criticism, n. 27, v. 1 (pp. 1-20), 2001.

_____. Adorno, Habermas and the search of a rational society. Londres:

Routledge, 2004.

EAGLETON, Terry. Ideologia. Uma introdução. Tradução de S. Vieira e L. C.

Borges. São Paulo: Ed. Unesp; Ed. Boitempo, 1997.

FREYENHAGEN, Fabian. Adorno’s Practical Philosophy: Living Less

Wrongly. Cambridge: Cambridge University Press, 2013.

GORZ, André. Misérias do presente, riqueza do possível. Tradução de

Ana Montoia. São Paulo: Annablume, 2004.

HABERMAS, Jürgen. Teoria do agir comunicativo. Tradução de P. A.

Soethe e F. B. Siebeneichler. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

HONNETH, Axel. Freedom’s Right: The Social Foundations of Democratic Life.

Columbia University Press, 2014.

HORKHEIMER, Max. “Notizen”. In: Notizen 1950 bis 1969 und

Dämmerung. Frankfurt am Main: S. Fischer Verlag, 1974.

JAEGGI, Rahel. “‘No Individual Can Resist’: Minima Moralia as

Critique of Forms of Life”. In: Constellations, vol. 12, n. 1 (pp. 65-82),

_____. “Repensando a ideologia”. In: Civitas, vol. 1, n. 1 (pp. 137-65),

MARX, Karl. A Ideologia alemã. Tradução de R. Enderle; N. Schneider; L. C.

Martorano. São Paulo: Boitempo, 2007.

_____. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858. Tradução

de M. Duayer e N. Schneider. São Paulo: Boitempo; Rio de Janeiro: Ed.

UFRJ, 2011.

_____. Crítica ao programa de Gotha. Tradução de Rubens Enderle.

São Paulo: Boitempo, 2012.

_____. O Capital. Livro I. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013.

O’CONNOR, Brian. Adorno. New York: Routledge, 2013.

PIKETTY, Thomas. O Capital no século XXI. Tradução de Mônica

Baumgarten de Bolle. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014.

POSTONE, Moishe. Time, Labor and Social Domination: A

reinterpretation of Marx’s critical theory. Cambridge: Cambridge

University Press, 2003.

REGO, Walquíria Leão, e PINZANI, Alessandro. Vozes do Bolsa

Família. São Paulo: Editora Unesp, 2013.

RENAULT, Emmanuel. “Filosofia”. In: RENAULT, E.; LÖWY, M. e

DUMÉNIL, G. Ler Marx. São Paulo: UNESP, 2011.

SOUZA, Jessé e GRILLO, André (Orgs.). A Ralé brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.




DOI: https://doi.org/10.5007/1677-2954.2016v15n1p65

          

 

 

ethic@. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1677-2954

Licença Creative Commons
This work is licensed under a  Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional