O dever de realizar o mal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1677-2954.2016v15n2p202

Palavras-chave:

Mal, Wittgenstein, Aristóteles, Paradoxo, Dever, Valor

Resumo

O texto que se segue consiste na apresentação de um problema filosófico, no exame e crítica de algumas possíveis maneiras de tentar solucioná-lo e na apresentação do que julgo ser sua melhor solução (aristotélica). Trata-se de um problema em filosofia moral ou ética, como o titulo já deixa claro. Este, portanto, não é um texto exegético sobre a filosofia de Wittgenstein. Mas creio que ele deve muito à filosofia tardia de Wittgenstein por duas razões principais. O problema filosófico apresentado aqui é entendido como uma confusão gramatical envolvendo o uso de termos morais. Além disso, a solução aqui proposta é obtida por meio da análise do uso ordinário desses termos. (cf. Wittgenstein, Investigações Filosóficas, §§109-111)

Biografia do Autor

Alexandre Noronha Machado, Universidade Federal do Paraná, Curitiba

Doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor adjunto do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Paraná.

Referências

Aristóteles. (1979) Ética a Nicômaco. trad. Leonel Vallandro e Gerd Bornheim, São Paulo: Abril Cultural.

Wittgenstein, L. (1958) Philosophical Investigations. trad. G.E.M. Anscombe. Oxford: Blackwell.

Downloads

Publicado

2016-12-17

Edição

Seção

Artigos