Contra o “ar rarefeito da teoria moral”

Autores

  • Janyne Sattler Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1677-2954.2016v15n2p246

Palavras-chave:

Wittgenstein, moralidade e ‘filosofia moral’, Gaita e Elliott

Resumo

O diagnóstico já fora dado por Wittgenstein ele mesmo, tão cedo quanto no Tractatus e mais claramente ainda nas Investigações Filosóficas: a urgência em se resolver certos “problemas filosóficos” não passa de um sintoma de doença filosófica. Poderíamos mesmo dizer que a principal preocupação de Wittgenstein ao longo de seu trabalho era aquela de fornecer um tratamento filosófico eficiente para a cura das ilusões do filósofo e um método (ou alguns métodos) para se determinar uma nova atitude filosófica por meio de uma nova atividade filosófica. Tanto o diagnóstico quanto o tratamento sugerido tiveram um enorme impacto sobre a reflexão filosófica contemporânea, a qual eu gostaria aqui de considerar desde o ponto de vista da assim chamada “filosofia moral”, cujo destino é a questão deixada em aberto por este artigo. No que se segue, eu vou começar por uma breve caracterização da referida atitude wittgensteiniana tal como aplicada a alguns autores: Anscombe, Gaita e Elliott, sobretudo; e tentar esboçar uma imagem de uma atividade filosófica que é principalmente (e moralmente) terapêutica; este quadro será então completado com a crítica compartilhada por estes autores à “filosofia moral tradicional” tal como primeiro e claramente atestada por Anscombe; finalmente, tentarei esboçar e exemplificar algumas das possibilidades alternativas abertas ao destino da “filosofia moral” contra a mera exegese e contra uma atitude academicista e pedante que parece estar sempre à espreita em nossas incursões normativas

Biografia do Autor

Janyne Sattler, Universidade Federal de Santa Catarina

Docente pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), doutora em Filosofia pela Université du Québec à Montréal (2011), pós-doutora pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) atuando especialmente nos temas seguintes: ética e estética em Wittgenstein; a ética estóica e ética das virtudes; cosmopolitismo; literatura e filosofia; estética. 

Referências

ANSCOMBE, G.E.M. “Modern Moral Philosophy”, Philosophy 33 (1958), pp. 1-19.

BOUVERESSE, J. Le philosophe chez les autophages. Les Étidions de Minuit, 1984.

CRARY, A. Does the Study of Literature Belong Within Moral Philosophy? Reflections on the light of Ryle’s Thought. Philosophical Investigations, vol. 23, n.4, pp.316-350, out 2000.

COETZEE, J.M. A Vida dos Animais. Trad. José Rubens Siqueira. Org. Amy Gutman. São Paulo: Cia das Letras, 2002.

CRISP, R. Reasons & the Good. Oxford: Oxford University Press, 2006.

DIAMOND, C. “Anything but Argument?”, in The Realistic Spirit: Wittgenstein, Philosophy and the Mind. MIT Press, 1995.

ELLIOT, C. A Philosophical Disease: Bioethics, Culture, and Identity. New York: Routledge, 1999.

ELLIOT, C. (Ed.). Slow Cures and Bad Philosophers: Essays on Wittgenstein, Medicine, and Bioethics. Durham: Duke University Press, 2003.

GAITA, R. A Common Humanity: Thinking about Love and Truth and Justice. Routledge, 2013.

GAITA, R. Good and Evil. An Absolute Conception. 2nd ed. Routledge, 2004.

GAITA, R. The Philosopher’s Dog. Routledge, 2005.

GIBSON, J. & Huemer, W. The Literary Wittgenstein. Routledge, 2004.

GIBSON, J. “Reading for Life”. In The Literary Wittgenstein. Gibson, J. & Huemer, W. (eds.). New York: Routledge, 2004, pp.109-124.

MURDOCH, I. A Soberania do Bem. Tradução Julián Fuks. São Paulo: Editora Unesp, 2013.

NUSSBAUM, M. C. Love’s Knowledge. Essays on Philosophy and Literature. Oxford University Press, 1990.

SATTLER, J. ‘Alternativas à “Filosofia Moral Moderna”: Considerações Wittgensteinianas, Estoicas e Literárias’. In: Ética, Linguagem e Antropologia: Perspectivas Modernas e Contemporâneas. Carmo, J.S. & Santos, R. (org.). Porto Alegre: EdiPUCRS, 2012.

SATTLER, J. L’éthique du Tractatus: non-sens, stoïcisme et le sens de la vie. (Série Dissertio-Filosofia). Pelotas: NEPFIL online, 2014. http://nepfil.ufpel.edu.br/dissertatio/acervo-livro8.php

WITTGENSTEIN, L. “A Lecture on Ethics”. The Philosophical Review. Vol.74, No. 1, pp.03-12, (Jan, 1965).

WITTGENSTEIN, L. Philosophical Investigations. Trans. by G.E.M. Anscombe, P.M.S. Hacker & J. Schulte. 4th ed. Blackwell Publishing, 2009.

WITTGENSTEIN. L. Philosophical Occasions, 1912-1951. James Carl Klagge & Alfred Norman (eds.), Hackett Publishing, 1993.

WITTGENSTEIN, L. Tractatus Logico-Philosophicus. Trans. by C.K. Ogden. Routledge, 2005.

Downloads

Publicado

2016-12-17

Edição

Seção

Artigos