Theodor W. Adorno: contribuições à reflexão sobre formação, democracia e autoritarismo

Autores

  • Franciele Bete Petry Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1677-2954.2021.e82670

Palavras-chave:

Educação, Formação (Bildung), Democracia, Autoritarismo

Resumo

O artigo tem como objetivo discutir a tarefa ética e política da educação nos textos de Theodor W. Adorno reunidos na edição Educação e emancipação. Pretende-se mostrar que a concepção de formação defendida por Adorno se vincula à defesa de uma sociedade democrática. Contudo, levando em consideração sua crítica aos limites à emancipação, que é condição da democracia, a tarefa formativa se desenvolve de uma forma negativa como interrupção de um processo histórico com potencial para gerar novas catástrofes. A educação pode ser um meio para se opor ao autoritarismo e buscar dissolver as condições que levariam à repetição da barbárie, ainda que não possa ser considerada uma ferramenta para a transformação radical da sociedade. O texto discute o modo como Adorno concebe a tarefa formativa, sua influência na constituição da subjetividade e sua possibilidade de proporcionar ao sujeito experiências de abertura e de mediação com a realidade. Na atualidade, a contribuição de Adorno se mostra fundamental para a reflexão sobre as relações entre democracia, autoritarismo e educação.

Referências

ADORNO, Theodor W. Democratic Leadership and Mass Manipulation. In. GOULDNER, Alvin (ed.). Studies in Leadership: Leadership and Democratic Action. New York: Russell and Russell, 1965. p. 418-438.

ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

ADORNO, Theodor W. Teoria freudiana e o padrão da propaganda fascista. In. Ensaios sobre a psicologia social e psicanálise. São Paulo: Editora Unesp, 2015. p. 153-198.

ADORNO, Theodor W. Teoria da semiformação. In. PUCCI, Bruno; ZUIN, Antônio Álvaro Soares; LASTÓRIA, Luiz A. Calmon Nabuco (org.). Teoria crítica e inconformismo: novas perspectivas de pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2010. p. 7-40.

COOKE, Maeve. Forever Resistant? Adorno and Radical Transformation of Society. In: GORDON, Peter E.; HAMMER, Espen; PENSKY, Max (ed.). Blackwell Companion to Adorno. Hoboken: Wiley, 2019. p. 583-600.

CAUX, Luiz Philippe Rolla de. A imanência da crítica: os sentidos da crítica na tradição frankfurtiana e pós-frankfurtiana. São Paulo: Loyola, 2021.

DEWEY, John. Democracia e educação: introdução à filosofia da educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1979.

FLECK, Amaro. Da crítica imanente à crítica do sofrimento: sobre o problema da fundamentação normativa da teoria crítica de Theodor W. Adorno. Ethic@ (UFSC), v. 15, n. 1, p. 65-84, 2016. Disponível em https://periodicos.ufsc.br/index.php/ethic/article/view/1677-2954.2016v15n1p65/32305 (Acesso em 30 jun. 2021).

FLECK, Amaro. Resignação? Práxis e política na teoria crítica tardia de Theodor W. Kriterion (UFMG), v. 58, p. 467-490, 2017. Disponível em https://doi.org/10.1590/0100-512X2017n13701am (Acesso em 30 jun. 2021).

HOHENDAHL, Peter Uwe. Prismatic Thought: Theodor W. Adorno. Lincoln and London: University of Nebraska Press, 1995.

HONNETH, Axel. Educação e esfera pública democrática: um capítulo negligenciado da filosofia política. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 13(3), p. 544-562, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.15448/1984-7289.2013.3.16529 (Acesso em 30 jun. 2021).

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. WMF Martins Fontes, 2013.

HORKHEIMER, Max; ADORNO, Theodor W. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

JANUÁRIO, Adriano. Educação e resistência em Theodor W. Adorno. São Paulo: Edições Loyola, 2020.

KILOH, Kathy J. Adorno’s Materialist Ethic of Love. In: GORDON, Peter E.; HAMMER; Espen, PENSKY, Max. (Ed). Blackwell Companion to Adorno. Hoboken: Wiley, 2019. p. 601-613.

MARIOTTI, SHANNON L. Adorno and Democracy: The American Years. Lexington, Kentucky: University Press of Kentucky, 2016.

NOBRE, Marcos. Limites da imanência: um exercício de dialética negativa. Dissonância: Revista de Teoria Crítica, v. 3, p. 1-29, 2020. Disponível em https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/teoriacritica/article/view/4097 (Acesso em 30 jun. 2021).

NUSSBAUM, Martha. Sem fins lucrativos. Por que a democracia precisa das humanidades. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2015.

O’CONNOR, Brian. Adorno. London: Routledge, 2013.

PETRY, Franciele Bete. Experiência e formação em Theodor W. Adorno. Educação e filosofia. 29(57), p. 455-488, 2015. Disponível em https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v29n57a2015-p455a488 (Acesso em 30 jun. 2021).

SALGADO, Mara; VAZ, Alexandre Fernandez. As faculdades da mimese, imaginação e memória na infância: o entrelaçar do amor e do pensamento. Educação em revista (online), v. 36, p. 1-18, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-4698224960 (Acesso em 30 jun. 2021).

SKIRKE, Christian. After Auschwitz. In. GORDON, Peter E.; HAMMER; Espen, PENSKY, Max. (Ed). Blackwell Companion to Adorno. Hoboken: Wiley, 2019. p. 567-582.

STOJANOV, Krasimir. Theodor W. Adorno – Education as Social Critique. In. SILJANDER, Pauli; KIVELÄ, Ari; SUTINEN, Ari (ed.). Theories of Bildung and Growth. Rotterdam: Sense Publishers, 2012. p. 125-134.

VAZ, Alexandre. Infância, escolarização, semiformação: reflexões sobre a memória e as “expectativas pedagógicas” a partir de Theodor W. Adorno. In. PUCCI, Bruno; ALMEIDA, Jorge de; LASTÓRIA, Luiz A. Calmon Nabuco (org.). Experiência formativa e educação. São Paulo: Nankin, 2009. p. 53-67.

YACEK, Douglas. Dialectics of Education. Adorno on the Possibility of Bildung in Consumer Society. Philosophy of Education (Urbana, IL). p. 204-213. Disponível em https://educationjournal.web.illinois.edu/archive/index.php/pes/article/view/5262.pdf (Acesso em 30 jun. 2021).

Downloads

Publicado

2021-10-29

Edição

Seção

Dossiê A teoria crítica de Theodor W. Adorno