Relato de experiência: oficinas Abayomi como elementos de valorização da cultura Afro-brasileira

Autores

  • Jadh Beatriz Silva Universidade Federal de Santa Catarina
  • Edmilson Rampazzo Klen Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2020v17n36p167

Palavras-chave:

Oficina de abayomi, Cultura afro-brasileira, Questão racial

Resumo

Este trabalho tem por objetivo relatar a experiência da realização de oficinas de Abayomi, especialmente, no espaço Sala Verde, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e na Escola de Educação Básica América Dutra Machado, no bairro Monte Cristo, na cidade de São José/SC, com parceria do projeto de extensão Oficina de Gestão Social e Pública, coordenado pela professora Helena Kuerten Salles. As mesmas foram realizadas no segundo semestre de 2019, planejadas dentro do cronograma de atividades do Programa de Educação Tutorial (PET) Conexões de Saberes – Comunidades Populares Urbanas da UFSC, com o intuito de não somente remeter ao ensino e valorização da cultura afro-brasileira de forma lúdica e participativa, mas também como ferramenta que possibilita levantar o debate sobre a questão racial, com crianças, jovens e adultos.

Biografia do Autor

Jadh Beatriz Silva, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduanda do curso de Serviço Social da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Bolsista no Programa de Educação Tutorial (PET) Conexões de Saberes - Comunidades Populares Urbanas/UFSC.

Edmilson Rampazzo Klen, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Pós-doutorado pelo Bremer Institut für Produktion und Logistik GmbH - Alemanha. Professor do Departamento de Expressão Gráfica da UFSC e coordena o Programa de Educação Tutorial (PET) Conexões de Saberes da UFSC.

Referências

GOMES, Edlaine de Campos.; BIZZARIA, Júlio.; COLLET, Célia.; SALES, Marcos Vinícius. A boneca Abayomi: entre retalhos, saberes e memórias. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Iluminuras, Porto Alegre, v. 18, n. 44, p. 251-264, jan/jul, 2017. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/iluminuras/article/download/75745/43150. Acesso em 16 jan. 2020.

GOMES, Nilma Lino. Educação, identidade negra e formação de professores/as: um olhar sobre o corpo negro e o cabelo crespo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.29, n.1, p. 167-182, jan./jun. 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ep/v29n1/a12v29n1.pdf. Acesso em 28 jul. 2020

FARIAS, Jordão. Representatividade negra como meio de auto afirmação: usos e sentidos. Medium. Brasil, 2018. Disponível em: https://medium.com/@fariasjordao/a-falta-de-representatividade-negra-usos-sentidos-e-efeitos-na-sociedade-brasileira-16f89770927b#sdfootnote1sym. Acesso em 28 jul. 2020

MARTINS, Waldilena. Bonecas Abayomi: Por que a origem romantizada dura mais? [Entrevista concedida a] Henri Chevalier. Conexão Lusófona. Brasil, 2019. Disponível em: https://www.conexaolusofona.org/bonecas-abayomi-por-que-a-origem-romantizada-dura-mais/. Acesso em 11 jan. 2020.

Downloads

Publicado

2020-08-21