Algumas considerações sobre surdos no mercado de trabalho: uma experiência sobre língua e segurança

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2020v17n36p2

Palavras-chave:

Mercado de trabalho, SIPAT, Surdo, Libras, Acessibilidade

Resumo

Este trabalho busca abordar algumas dificuldades enfrentadas no mercado de trabalho por sujeitos surdos em relação à comunicação e à inclusão no meio profissional. Tal reflexão se originou com o convite feito ao projeto de extensão “Recursos e Materiais Didáticos de Língua Portuguesa como L2 para Surdos”, da UERJ, para oferecer uma palestra diferenciada para uma empresa de engenharia, durante a Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT). Como linha geral da apresentação, consideramos enfatizar as diferenças linguísticas e culturais dos trabalhadores surdos que ali trabalham como também sugerir formas de comunicação em situações de emergência. Observamos que os trabalhadores da empresa se sentiram mais envolvidos com a valorização da língua de sinais e os cuidados com o trabalhador surdo em caso de acidentes, salientando a importância da Libras em ambientes de trabalho.

Biografia do Autor

Angela Corrêa Ferreira Baalbaki, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em Letras pela Universidade Federal Fluminense (2010) e mestre em Letras pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2002). É professora do Departamento de Estudos da Linguagem, do Instituto de Letras, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e do Programa de Pós-Graduação em Letras da mesma universidade. Integra o grupo de pesquisa "Discurso, historicidade e subjetividade: inconsciente e ideologia" (UFF). Em 2014, foi contemplada no edital APQ1 (FAPERJ), com o projeto: Estudos sobre bilinguismo: elaboração de materiais para o ensino de português para alunos surdos. Desenvolve pesquisas na área de Análise de Discurso de linha francesa e História das Ideias Linguísticas com ênfase nos seguintes temas: formação de professores de línguas; processo de gramatização de línguas; ensino de Língua Portuguesa como segunda língua para alunos surdos; discurso de divulgação científica. 

Amanda Barbosa Araújo, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda no curso de Letras.

Bruna de Morais, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda no curso de Letras.

Dandara Dalva Santos Silva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda no curso de Letras.

Patrícia Meira de Farias Campos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda no curso de Letras.

Tathiana Targine, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda no curso de Letras.

Referências

ALBARES, R. S. da S.; BENASSI, C. A. Comunicação gestual caseira e Libras: semelhanças e diferenças oriundas das necessidades comunicacionais. Revista Diálogos: linguagens em movimento. Ano III, n. 1, jan.-jun., p. 240-258, 2015.

BRASIL. Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991. Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, 1991.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, n. 79, p. 23, 25 abril 2002.

CIPA Básico de LIBRAS. Direção: Mônica Gardelli Franco. Produção: Tathiana Targine. Intérprete: Alexandre Siva; Aline L’Astrina, Andreza Macêdo; Cristiane Moura; Daniela Abreu; Fabiola Gomes; Ruan Diniz. Roteiro: Clarrisa Vasconcellos; Enilton Rodrigues. Gravação de Heveraldo Ferreira. Rio de Janeiro: TV INES, 2016. 1 DVD (26:08 min).

CUSTÓDIO, A. C. C. A inserção do surdo no mercado de trabalho, frente às políticas públicas de inclusão: as duas faces de uma mesma moeda. In: V Seminário Nacional de Educação Especial. IV Encontro de Pesquisadores em educação especial e Inclusão escolar. Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015. Disponível em: http://www.cepae.faced.ufu.br/sites/cepae.faced.ufu.br/VSeminario/trabalhos/295_1_2.pdf. Acesso em: 13 maio 2019.

FELIPE, T.; MONTEIRO, M. Libras em Contexto: Curso Básico - Livro do Professor. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2007.

GESSER, A. LIBRAS? Que língua é essa? Crenças e preconceitos em torno da língua de sinais e da realidade surda. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

KLEIN, M. Movimentos surdos e os discursos sobre surdez, educação e trabalho: a constituição do trabalhador surdo. In: 24º Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), 2001, Caxambu (MG). Anais da 24º Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), 2001, p. 135-135.

KLEIN, M. Novos textos e novos atores na formação profissional para surdos: rupturas ou permanências? Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 33, p. 435-561, set./dez. 2006.

KLEIN, M. Os discursos sobre surdez, trabalho e educação e a formação do trabalhador surdo. In: SKLIAR, C. (Org.). Surdez: um olhar sobre as diferenças. 4ed. Porto Alegre: Mediação, 2010, p. 75-92.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Procuradoria Regional do Trabalho da 17ª Região. PCDLegal. O Ministério Público do Trabalho e os Direitos dos Trabalhadores. Vitória: Procuradoria Regional do Trabalho da 17ª Região, 2014.

SANTIAGO, V. de A. A. A participação de surdos no mercado de trabalho São Paulo: Anhanguera Educacional, 2011, p.1-16. Disponível em: https://www.porsinal.pt/index.php?ps=autores&idt=esp&idaut=266. Acesso em 31 maio 2019.

SANTOS, R. P. H. L. Mãos que falam - O surdo no mercado de trabalho. In: Evento da Comissão de Responsabilidade Social do TRT-PR, 2014, Curitiba. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=8TDUHNHaiVg&feature=youtu.be. Acesso em 28 maio 2019.

SILVA, I. R.; FAVORITO, W. Surdos na Escola: Letramento e Bilinguismo. São Paulo: REVER - Produção Editorial e Edição de Texto, 2009.

Downloads

Publicado

2020-08-21